Escola capacita professores a trabalharem com alunos surdos e com alguma perda auditiva em Jaraguá do Sul
Escola capacita professores a trabalharem com alunos surdos e com alguma perda auditiva em Jaraguá do Sul

Resumo da notícia:

  • Julius Karsten promove curso para professores trabalharem com alunos surdos
  • A escola tem 13 estudantes surdos e/ou com alguma deficiência auditiva
  • Ideia pode se espalhar para outras escolas da região.

 

Por natureza, os profissionais da educação precisam estar em constante busca por adaptações. O ritmo frenético só aumentou durante a pandemia do coronavírus.

Em Jaraguá do Sul, a Escola de Educação Básica Julius Karsten encontrou uma maneira para atender os alunos surdos durante as aulas a distância e também já pensando em aperfeiçoar o atendimento presencial.

Os professores do Atendimento Educacional Especializado da unidade, Franciéle Martins de Abreu Calduro e Marcelo de Oliveira Freitas, em conjunto com o professor responsável pela Educação Especial da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Jaraguá do Sul, Anderson Rodrigo Floriano, organizaram um curso com esse viés: capacitar professores que atuam e ministram aulas para alunos surdos ou com alguma perda auditiva.

A ideia surgiu por iniciativa de Franciéle, pela preocupação de que os professores do ensino regular tivessem clareza no atendimento desses alunos. A escola Julius Karsten tem atualmente 13 estudantes surdos e/ou com alguma deficiência auditiva.

"Cada aula é um desafio, pois queremos contribuir ao máximo, esclarecendo as dúvidas dos professores e fornecendo materiais com estratégias práticas e funcionais, tanto para os atendimentos não presenciais, quanto para o retorno das atividades presenciais na escola", comenta a professora.

Franciéle dando aula para um aluno surdo durante a pandemia de coronavírus | Foto Divulgação

De olho no futuro

O objetivo do curso é capacitar aproximadamente 29 educadores, nove profissionais da equipe pedagógica e administrativa, além da gestora da unidade.

Os cursos são semanais e terão uma carga horária total de 32 horas. Até o momento, foram realizadas cinco aulas.

Anderson afirma que esse é apenas um projeto-piloto em início na Julius Karsten. Mas, será levado para a 23ª regional, através da Coordenadoria Regional de Educação de Jaraguá do Sul.

"Queremos levar o processo educacional dos alunos surdos de nossa regional, um processo cada vez mais inclusivo", destaca.

A diretora da escola, Margarete Menestrina Luzzani, não escondeu a gratidão em poder beneficiar a educação especial.

"Sinto-me orgulhosa em contar com uma equipe especializada que leva o conhecimento aos professores bilíngues, intérpretes e professores regentes que atendem o público surdo", expõe a diretora.

A professora bilíngue Evelyn Metzger revela que sempre verifica se o aluno surdo vai conseguir fazer as atividades propostas e, se precisar, faz adaptações. No curso, ela é intérprete do professor Marcelo, que é surdo.

"A Julius Karsten é uma escola totalmente diferenciada, tem um olhar especial para a inclusão."

Evelyn comenta que o curso ajuda o professor a criar uma identificação do aluno surdo e conhecê-lo mais, sendo necessário conversar com o professor bilíngue e adequar o material junto com ele.

"É importante procurar trabalhar conteúdos com vídeos e imagens, evitar textos longos, ser mais objetivo. É um curso importante", aponta.

Tecnologia

A multiplicadora de tecnologias educacionais do Núcleo de Tecnologias Educacionais da CRE, Taise Daniela Zacko Lipinski, comenta que o curso iniciou com o aplicativo Hangout Meet, mas era necessário que o professor intérprete ficasse fixo na tela de reunião.

"Após alguns estudos e orientações da Secretária Estadual de Educação (SED), passamos a utilizar a plataforma do StreamYard, que nos oferece esta possibilidade", afirma.

Os encontros são feitos ao vivo, através do canal do Youtube, onde é possibilitada a interação entre os ministrantes do curso e os professores, além da troca de ideias, sugestões e dúvidas através do chat disponibilizado.

"Além dos encontros online, também criamos no Google Classroom, uma turma do curso, onde ficam disponibilizados todos os materiais de apoio, reuniões gravadas, apresentações, trabalhos desenvolvidos na formação, mural de avisos, além de ferramentas que possibilitam a interação e troca de ideias entre os participantes", destaca.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul