Foto Divulgação/Dalila Têxtil
Foto Divulgação/Dalila Têxtil

Resumo da notícia:

  • Em Jaraguá do Sul, a Dalila Têxtil desenvolveu um tecido que promete proteger contra o causador da Covid-19
  • O produto mantém o efeito antiviral e antibacteriano por 20 lavagens
  • O produto não apresenta toxinas nocivas às células e possui formulação baseada em química verde, com estabilizante natural de origem brasileira

 

A tecnologia é uma das grandes aliadas no combate ao coronavírus. Entre os diversos setores preocupados em desenvolver produtos capazes de inibir a propagação do vírus, está a indústria têxtil.

Em Jaraguá do Sul, a Dalila Têxtil desenvolveu um tecido que promete proteger contra o causador da Covid-19.

O produto mantém o efeito antiviral e antibacteriano por 20 lavagens.

De acordo com a empresa, a malha já passou por testes laboratoriais seguindo normas científicas reconhecidas internacionalmente.

Além de antecipar a moda do futuro, a marca aposta em um produto que tem grande potencial de auxílio aos profissionais da saúde. Mas, como essa proteção é possível?

Tecido protege contra o coronavírus

Com a tecnologia, foi possível desenvolver um tecido que promove a ruptura da membrana e inibe o crescimento e a persistência do vírus na malha - com um mecanismo de ação que bloqueia a ligação do organismo nas células hospedeiras (impedindo que ele libere seu material genético no interior), reduzindo sua capacidade infecciosa.

A novidade promete ser eficaz contra os vírus envelopados, como o coronavírus, o herpesvírus e o influenza, e também contra os não envelopados, como o adenovírus humano, norovírus e enterovírus.

A tecnologia por trás do acabamento da malha utiliza partículas de prata para atrair o vírus com carga oposta, fazendo com que se ligue aos grupos de enxofre presentes na superfície que envolve o vírus.

Essa reação, conforme a Dalila Têxtil, impede a ligação do vírus à célula hospedeira, bloqueando sua replicação.

 

 

O produto não apresenta toxinas nocivas às células e possui formulação baseada em química verde, com estabilizante natural de origem brasileira.

Design e cuidados com a saúde

Para o diretor da empresa, André Klein, a inovação impacta o mercado da moda para melhor pelo fato de as roupas começarem a unir design e cuidados com a saúde.

O “acabamento antiviral” já foi testado em máscaras faciais, tecidos de confecção e outras aplicações, obtendo comprovação da redução significativa da infectividade viral e bacteriana.

Com informações de O Município e GQ.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul