Uma pequena corujinha-buraqueira (Athene cunicularia) foi resgatada dentro de uma residência no bairro Três Rios do Norte, na manhã desta terça-feira (6).

Ao entrar na casa, o animal foi atacado por um dos gatos domésticos do local, mas sobreviveu.

O biólogo da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), Christian Raboch, disse que apesar do ataque, a ave está bem. “Mesmo assim será encaminhada ao veterinário para ver se teve lesão no olho esquerdo.”

Foto: Divulgação/Fujama

A coruja-buraqueira é um espécime muito comum, normalmente encontrada em áreas urbanas, pastos ou terrenos. Tem esse nome porque ao contrário de outras aves do gênero, faz sua toca no chão para abrigar seu ninho e proteger seus filhotes.

Estima-se que há pelo menos 10 espécies de corujas, dos mais variados tamanhos que vivem na região de Jaraguá do Sul.

“Geralmente por serem noturnas em sua maioria são de difícil visualização. Às vezes são encontradas em residências ou se envolvem em colisão com veículos, o que é uma grande causa de lesão em corujas”, destacou outro biólogo da Fujama, Gilberto Ademar Duwe.

Duwe e Raboch observam ainda que com a proximidade do inverno as noites ficam mais longas e as corujas acabam aparecendo mais. “Por outro lado, aumenta o número de acidentes de colisões com estes animais tanto em veículos como em vidraças. No caso das casas, por exemplo, interessante seria colocar adesivos nas vidraças como forma para resolver o problema”, sugeriu um dos biólogos.