Após um 2019 inesquecível pelo Flamengo com a conquista da Libertadores e Campeonato Brasileiro, Filipe Luís aproveita os últimos dias de férias em Jaraguá do Sul, antes de se reapresentar ao rubro-negro na próxima segunda-feira (27).

Prestes a iniciar uma nova temporada no clube de coração, o jaraguaense concedeu uma entrevista exclusiva ao Avante! e OCP na manhã de sexta-feira (24).

Durante a conversa realizada no seu centro esportivo, inaugurado oficialmente na quinta-feira (23), o lateral-esquerdo falou do seu mais novo empreendimento, o ano histórico no Flamengo, crescimento do Juventus, entre outros assuntos.

Confira a entrevista completa

O que achou e o quão gratificante foi ver o centro esportivo pronto? E qual seu maior sonho com o local?

“É muito gratificante, porque foi uma ideia que saiu do nada e foi avançando. Quando vi no papel era lindo e vendo hoje ficou melhor do que eu esperava. O que me enche de orgulho é ver os meninos e meninas treinando. Esse é o meu principal objetivo de tudo isso. Quero que Jaraguá do Sul volte a ser uma potência no futebol. Não tenho ânimo de ganhar dinheiro com isso, o que eu quero é revelar atletas”

Você chegou ao Flamengo em um momento em que o clube já havia trocado de técnico, sofria com muitas críticas da torcida e tinha a classificação na Libertadores muito ameaçada. Qual principal mérito e teve algum jogo que você acredita que marcou essa reviravolta tão grande na temporada 2019?

“Foram muitos momentos, chegada de treinador, reforços e o clube apostando em um plantel qualificado para ser campeão. No final, o talento e a qualidade se nota. Hoje, o Flamengo é essa potência e tem tudo para termos uma outra grande temporada. Sinto orgulho e sorte de ter participado dessa história do Flamengo, sendo flamenguista desde pequeno”

O que o técnico Jorge Jesus tem de tão especial que fez o time do Flamengo encantar os olhos de todo Brasil?

“Ele é um cara que sabe muito de futebol e isso é uma vantagem. É um cara que se reinventou durante a carreira, o que o tornou completo e com que os jogadores se sintam tão à vontade com ele”

Como está sendo a vida no Rio de Janeiro depois de tanto tempo na Europa? O assédio é mais complicado?

“Fui preparado. É um assédio muito grande, o jogador e a torcida do Flamengo tem uma comunhão muito forte. Cada vez que saímos na rua, o torcedor expõe o que ele quer e pensa sobre o time. Vim preparado para tudo e sabia onde estava indo jogar”

Você sempre falou que não gostaria de voltar ao Brasil, mas acabou acontecendo a vinda para o Flamengo. Hoje dá para dizer que foi a melhor escolha que você poderia ter feito?

“Foi a escolha certa, porque fui feliz e consegui fazer história. Não me arrependo de nada. Tenho mais dois anos de contrato e o futebol prova que nunca diga nunca. Jogar no Flamengo não seria fácil e sempre tive essa dúvida, mas ao final das contas, o coração falou mais alto”

Para quem te acompanha há muito tempo no futebol sabe da sua qualidade técnica e obediência tática em campo. Com a vinda ao Brasil, parece que essas características ficaram ainda mais em evidência para muitos brasileiros. Você se vê ainda mais valorizado agora pelo sucesso e grandiosidade do clube pelo qual defende?

“Quando você joga no Flamengo está exposto e sujeito a críticas e elogios constantemente, porque é um clube que tem R$ 40 milhões de torcedores. Talvez tenha mais repercussão que a seleção brasileira. Mas todo jogador gosta disso de ser exigido e jogar sob pressão. É difícil, mas ao mesmo tempo, gratificante”

O Juventus vem se reerguendo no cenário estadual com a volta à Série A do Campeonato Catarinense. Você acompanha o clube?

“Acompanho (o Juventus). Não assisto os jogos, mas vejo lances e gols que me mandam no whatsapp. Sinto e acho que o Juventus está na mão de um presidente (Cristiano Humenhuk) sério e honesto. Isso é o primeiro passo fundamental para o clube crescer de novo”, disse.

O povo jaraguaense se orgulha em ter um atleta do mais alto nível do futebol como você e isso aumentou com a sua chegada no Flamengo. O quão gratificante é receber esse carinho das pessoas da sua terra natal e podemos esperar mais empreendimentos do Filipe Luís na cidade?

“O carinho está sendo muito maior agora por estar no Flamengo, é impressionante. Mas na cidade é um sentimento especial. Morei aqui até meus 14 anos, antes de ir embora para jogar futebol. Hoje volto como um jogador feito e com esse reconhecimento de pessoas que me acompanharam desde pequeno. Isso é muito legal e emocionante. Poderia abrir esse empreendimento (centro esportivo) em Florianópolis, São Paulo, que seria muito mais rentável. Mas quero investir na minha cidade, onde fui feliz, recebo esse apoio e que eu amo. Vão ter mais empreendimentos. Quero fazer um estádio para ajudar socialmente, pegando crianças carentes para ensinar a jogar futebol e dar oportunidades a todos para o futebol da cidade crescer. É mais um sonho e o centro esportivo é só o primeiro passo”

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger