Como preparação para o Everest, tratado como o principal desafio do projeto Sete Cumes, o alpinista Hélio Fenrich completou pela segunda vez a expedição ao Aconcágua, em Mendoza, na Argentina, o qual já havia feito em 2015.

O jaraguaense subiu a maior montanha das Américas de 6.962m em 11 dias. Segundo ele, as condições foram totalmente diferentes em comparação há cinco anos, quando chegou a pegar clima de -15º a -25º.

Desta vez, com um frio bem mais ameno, Hélio encontrou dificuldades na reta final da montanha pelo pouco volume de neve e com o caminho tomado por pedras.

“É muito mais difícil subir ao topo com pedras ao invés de neve, além do forte vento que castigou bastante. Mas deu tudo certo”, disse o alpinista que ainda nesse projeto trabalhou de personal guia de montanha, na qual guiou duas pessoas até o topo.

Agora, Hélio Fenrich segue preparação ao Monte Everest, na Cordilheira do Himalaia, com quase nove mil metros.

Depois, restarão apenas o Carstensz, em Papua, na Oceania, e Vinson, na Antártica, para o jaraguaense se tornar o primeiro catarinense a concluir o projeto Sete Cumes.

Além do Aconcágua, ele já chegou ao topo do Elbrus, na Rússia, do Kilimanjaro, na África, e Denali, no Alasca.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger