Santa Catarina é destaque na indústria

Foto: Marco Favero/Secom

Por: Debora Volpi

11/10/2023 - 06:10

Santa Catarina é líder nacional na indústria de confecção do vestuário; embarcações; eletrodomésticos; geradores, transformadores e motores elétricos; atividades de acabamentos em fios, tecidos e têxteis; fabricação de tecidos de malha; e desdobramento de madeira. Os dados divulgados em julho deste ano são referentes ao Valor Bruto da Produção industrial (VBPI), da Pesquisa Industrial Anual (PIA), do IBGE/2021, e foram analisados pelo Observatório FIESC.

A indústria de confecção do vestuário, por exemplo, cresceu em 4,6 pontos percentuais sua participação nacional de 2020 a 2021, passando de 26% para 31%. Esse resultado está associado ao aumento das vendas catarinenses de roupas do vestuário para o restante do país em 2021, diante da abertura gradual da economia e da recuperação do consumo das famílias.

O estado também passou a ser líder na produção de embarcações, que corresponde a 29% de representatividade no Brasil, ultrapassando o Rio de Janeiro.

Em 2021, SC também aumentou as vendas internacionais de embarcações de recreação, sobretudo para os Estados Unidos, França e Austrália.

Além disso, o estado assumiu a primeira colocação do país na fabricação de geradores, transformadores e motores elétricos, impulsionado tanto pelo aumento das exportações para a América do Norte e Europa, bem como de eletrodomésticos, devido ao fornecimento para o mercado doméstico.

A indústria catarinense manteve a liderança nas atividades de acabamentos em fios, tecidos e têxteis e na fabricação de tecidos de malha, ambos que possuem representatividade nacional maior que 55%. O estado também é campeão na atividade de desdobramento de madeira, impulsionado, sobretudo, pelas vendas aos EUA, com 28% de participação na produção nacional.

De modo geral, a indústria de transformação de SC também aumentou sua importância na capacidade produtiva nacional, passando da 6ª para a 5ª posição no Brasil, com participação de 6,6%, superando novamente o Rio de Janeiro.

 

WEG amplia a presença na África

A WEG, como parte de seu esforço para expandir sua presença nos mercados da África Oriental, está adotando medidas significativas para aumentar sua presença em Uganda, por meio de uma parceria com a empresa Petrok como Revendedor de Valor Agregado (VAR). A presença local da Petrok e sua experiência técnica, aliadas à confiabilidade dos produtos da WEG no mercado, facilitarão essa expansão. O crescimento econômico esperado de projetos como o Oleoduto do Petróleo Bruto da África Oriental (EACOP), somado à força atual dos setores de agricultura, manufatura, serviços públicos, cimento e petróleo e gás em Uganda, oferece oportunidades potenciais para a WEG apresentar seus produtos e soluções.

Com este passo importante, a companhia fortalecerá sua posição de mercado em Uganda com a linha de motores elétricos, bem como soluções de média e alta tensão. A WEG tem fornecido produtos para clientes em Uganda há mais de uma década, e esta parceria amplia o suporte aos clientes e abre novos mercados. A Petrok foi escolhida como Revendedora de Valor Agregado após um rigoroso processo de avaliação conduzido pela WEG, e a confiança é que ela fornecerá o suporte aos clientes com os mesmos padrões criteriosos da companhia.

 

Duas Rodas participa de ação voluntária

Um grupo de 15 colaboradores voluntários da Duas Rodas, que participa do Programa Junior Achievement (JA), aplicado a estudantes escolas de Jaraguá do Sul, ampliou a sua atuação neste ano. Desde julho, está levando conhecimentos sobre empreendedorismo, educação financeira e o mercado de trabalho também para jovens aprendizes que são atendidos pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) na cidade. No próximo dia 19, das 13h30 às 17h30, será desenvolvido o programa “Aprender, Pra Quê?” para mais uma turma de jovens aprendizes no CIEE-Jaraguá do Sul. A expectativa é de beneficiar, até novembro, em torno de 300 jovens aprendizes com 5 programas de conteúdos do Júnior Achievement, uma das maiores organizações sociais incentivadoras de jovens do mundo: “Economia Já”, “Conectado com o Amanhã”, “Gestão de Projetos”, “Aprender, Pra Quê?” e “Meu Dinheiro, Meu Negócio”. Cada programa tem duração média de quatro horas e está sendo aplicado no horário normal de aula no CIEE.