Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

A região do Vale do Itapocu, se destaca no âmbito do estado e do Brasil, por seu significativo potencial econômico. Inevitavelmente, toda economia pulsante possui seus gargalos estruturais.

Em nossa região o gargalo crônico é a limitada estrutura viária que não depende das administrações locais. Vale ressaltar que somos um modelo de economia regional que busca se conduzir pela via do ‘estado mínimo’, procurando fazer aquilo que nos cabe, e que possa estar a nosso alcance e, por vezes, até aquilo que não nos cabe.

Em meio a esse gargalo crônico, uma rodovia, em específico, tem roubado a cena, mas, como indesejado protagonismo. Em 2019, a SC-108, importante ligação viária entre Blumenau, no Vale do Itajaí, com os municípios do Norte Catarinense, e um dos maiores corredores logísticos do Estado, foi danificada por um deslizamento.

A letargia estatal fez com que a manutenção da rodovia demorasse mais de um ano para se concretizar. Na ocasião, nosso Editorial OCP criticava a morosidade, sustentando que aquilo era um retrato fiel do senso de urgência que o Estado, paradoxalmente, dedica a quem produz e arrecada para esse mesmo Estado.

Agora, o Editorial desta sexta-feira (5), trata de uma promessa que, se concretizada, representará um grande avanço para nossa região.

Uma recente audiência virtual com integrantes da Secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, dirigentes e representantes políticos da região, discutiu a situação local da SC-108.

Reconhecendo a precariedade da rodovia, este órgão do Estado se comprometeu em lançar, até junho deste ano, processo licitatório para respectiva duplicação.

Acompanharemos, ansiosos e atentos. Afinal, somos uma região reconhecida pelo trabalho e desenvolvimento, e não pela paciência.