Meus amigos, tenho sido muito procurado durante esta crise do coronavírus por pessoas que estão tendo crises de pânico.

A Síndrome de Pânico é uma doença que afeta muitas pessoas e altera seriamente a qualidade de vida. São episódios repetidos de ansiedade ou medo intenso. Parece o fim, sensação de um infarto ou morte – muitas vezes as pessoas param num pronto-socorro.

A pessoa sente muita ansiedade, palpitações, tremores, dificuldade de respirar, sudorese e tem a sensação de que irá desmaiar ou “enlouquecer”.
A Síndrome de Pânico atinge mais as mulheres, mas qualquer pessoa pode ser suscetível a passar por isso.

Nesta crise causada pela CoViD-19, o instinto de sobrevivência e também as prováveis perdas financeiras provocadas pela redução da atividade econômica podem ser as causas do pânico.

Muitas das pessoas afetadas poderão ter de ir a um psiquiatra e também receber ajuda da psicoterapia, se as crises ficarem repetitivas.

No atual momento, pelo risco de contaminação, deve-se evitar que as pessoas se exponham nos hospitais, portanto, aqui vão algumas dicas para evitar ou reduzir as crises de pânico em meio a pandemia do coronavírus:

  1. Não veja todas as notícias sobre o caso, veja apenas as essenciais para se manter informado dos cuidados de prevenção;
  2. Siga as instruções da saúde pública;
  3. Programe a compra de comida suficiente para não ter que ir a toda hora no mercado;
  4. Combata a ansiedade a seu favor. Não se antecipe à desgraça. Faça exercícios de forma regular, cotidianamente. Converse bastante com seus entes queridos. Medite;
  5. Cuide do sono. Evite se expor demais ao celular e à televisão;
  6. Evite os excessos de café, álcool, cigarro, chimarrão e quaisquer outros estimulantes, pois eles costumam agravar os sintomas do pânico.

Se mesmo assim você tiver uma crise, então respire profundamente e tente relaxar. Procure falar com alguma pessoa e tente explicar o que sente, não guarde seus pensamentos só para você. Cuide-se!