Onda de calor intenso requer cuidados

Por: Editorial

06/02/2024 - 06:02

 

Nos últimos anos, temos presenciado um aumento significativo nas temperaturas ao redor do mundo. Fenômenos climáticos extremos, como ondas de intenso calor são cada vez mais frequentes e impactam sobremaneira a qualidade de vida das pessoas.

Isso requer atenção e ações efetivas para mitigar as danosas consequências e proteger a saúde e o bem-estar da população. O calor intenso representa uma ameaça real à saúde, especialmente para os grupos mais vulneráveis, como crianças, idosos e pessoas com comorbidades.

Os riscos incluem desidratação, exaustão, insolação, agravamento de doenças cardiorrespiratórias e outros transtornos, que podem ser fatais. É essencial que cada pessoa esteja ciente desses perigos e tome medidas para se proteger.

A partir desta segunda-feira (5), uma massa de ar quente atua sobre Santa Catarina, favorecendo o predomínio do calor intenso, que deve persistir pelo menos até a sexta-feira (9). Por isso, elencamos algumas medidas de proteção recomendadas:

i) Para evitar desidratação, é importante aumentar a ingestão de líquidos, mesmo sem sentir sede. Evitar, também, bebidas alcoólicas e com cafeína, pois elas contribuem para a desidratação;

ii) Usar protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados. Utilizar chapéu, óculos de sol e roupas leves e frescas para proteger a pele dos raios solares;

iii) Priorizar locais com sombra e evitar sair nos horários de pico de calor, geralmente entre 10h e 16h;

iv) Manter os ambientes frescos e ventilados. Utilizar ventiladores, ar-condicionado ou umidificadores para amenizar o calor. Se não tiver acesso a esses recursos, procurar locais públicos com ar-condicionado, como shoppings ou bibliotecas;

v) Optar por refeições leves e frescas, como saladas, frutas e legumes;

vi) Ficar atento aos sinais de hipertermia, como tontura, fraqueza, náuseas, vômitos, dor de cabeça intensa e desmaios. Caso esses sintomas se façam presentes, procurar um local fresco, beber água e, se necessário, buscar atendimento médico;

vii) Crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas têm maior sensibilidade ao calor. Certificar-se de que eles estejam em ambientes frescos e bem hidratados.