No mês de março, o consumo de gás natural registrou dois novos recordes em Santa Catarina: a média diária de vendas, com 2.150.686 m³/dia, e o volume mensal comercializado, que foi de 66.671.254 m³. O resultado de vendas diárias é 0,16% superior ao mês anterior, fevereiro, quando já havia sido registrado o último recorde. Além disso, o volume médio do mês aumentou 8,58% em relação ao comercializado no mesmo período em 2020.

Entre os setores que utilizam gás natural, o destaque no consumo foi da indústria. O setor consumiu 26,81% a mais quando comparado a março de 2020, 12,05% acima de março de 2019 e 0,8%, de fevereiro de 2021. As indústrias são responsáveis atualmente por mais de 80% de todo o insumo comercializado em Santa Catarina.

Com essa sequência de recordes, a SCGÁS se aproxima de 12 bilhões de m³ distribuídos desde o início de sua operação, no ano 2000. Até 2025, a Companhia projeta comercializar cerca de 25% a mais do que nos últimos períodos, uma média de 2.513.547 m³ por dia de gás natural.

Entre os usuários de Gás Natural Veicular (GNV) o resultado do mês de março também foi positivo. As vendas registradas ficaram 20,62% acima do mesmo mês no ano passado. As unidades residenciais, que somam quase 16 mil clientes, consumiram 10,67% a mais do insumo quando comparado a março de 2020. O valor é ainda mais expressivo em relação a março de 2019, com aumento de 27,87% no consumo.

Resta saber se a SC Gás deve manter a tendência positiva de resultados em luz do novo marco legal do gás natural, combustível que tem aplicações na geração de energia elétrica, na indústria, nos transportes e no setor de serviços, sancionado esta semana, e do aumento iminente do combustível: partir do dia 1º de maio, os preços de venda de gás natural para as distribuidoras estarão 39% mais caros na comparação com o último trimestre.

A Lei 14.134/21 que substitui a legislação vigente (Lei 11.909/09), tem como objetivo ampliar a competição e os investimentos no setor, com reflexos sobre o preço, e preparar o mercado para a produção de gás natural da camada pré-sal, que precisará ser escoada.

 

Inovação

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) divulgou na segunda-feira (12) os finalistas do Prêmio Inovação Catarinense - Professor Caspar Erich Stemmer. São 32 personalidades, empresas e instituições disputando os primeiros lugares em 11 categorias.

Serão premiados os três primeiros lugares com R$ 15 mil, R$ 10 mil e 5 mil. A cerimônia será realizada totalmente on-line no dia 27 de abril, a partir das 14h. Quem quiser acompanhar, poderá assistir pelo YouTube da Fapesc ou pelo Facebook.

Comércio cresce

O volume de vendas do comércio varejista cresceu 0,6% na passagem de janeiro para fevereiro. Segundo dados divulgados nesta terça-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a alta veio depois da queda de 0,2% na passagem de dezembro para janeiro.

O varejo também apresentou alta no acumulado de 12 meses (0,4%), mas teve quedas de 2% na média móvel trimestral, de 3,8% na comparação com fevereiro do ano passado e de 2,1% no acumulado do ano.

Na passagem de janeiro para fevereiro, o volume de vendas cresceu em quatro das oito atividades pesquisadas pelo IBGE: livros, jornais, revistas e papelaria (15,4%), móveis e eletrodomésticos (9,3%), tecidos, vestuário e calçados (7,8%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%).

Doses atrasadas...

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga, fez um apelo na segunda-feira (12), em entrevista ao programa Sem Censura, da TV Brasil, para que pessoas que foram imunizadas com a primeira dose da vacina contra Covid-19 não desobedeçam a prescrição do medicamento e tomem, dentro do prazo recomendado, a segunda dose do imunizante.

Questionado sobre o suprimento de vacinas e o andamento da campanha de imunização nacional, Queiroga reafirmou sua meta de aplicação de 1 milhão de doses de vacina por dia. Segundo o ministro, a articulação do governo federal para a aquisição de mais vacinas é constante e busca aprimorar o fluxo já existente.

... e imunização distante

O Brasil atingiu na segunda-feira (12) a marca de 23.847.792 vacinados contra a Covid-19, o que corresponde a 11,6% da população nacional - e segundo o ex-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Gonzalo Vecina, a imunização coletiva em 2021 é improvável. O parecer foi dado em uma entrevista à rede Globo News.

"O avanço da vacinação depende apenas da nossa capacidade de entregar as vacinas. Isso está ligado ao funcionamento das farmacêuticas e institutos. Se tivermos uma entrega adequada dos insumos farmacêuticos, se tudo ocorrer bem, em outubro e novembro desse ano vamos chegar lá, com redução do número de casos e imunidade coletiva. Mas não acredito que isso vai acontecer", afirmou.

Sem voos

O governo francês anunciou a suspensão de todos os voos com o Brasil "até segunda ordem". As informações são da BBC.

A decisão foi anunciada na terça-feira (13) por Jean Castex, primeiro-ministro do país, em pronunciamento na Assembleia Nacional, o Parlamento francês.

"Notamos que a situação está piorando e decidimos suspender todos os voos entre o Brasil e a França até segunda ordem", disse Castex.