Emanuela Wolff deixa a Secretaria de Educação com vista nas eleições 

Emanuela Christian Wolff | Chefe de gabinete da Prefeitura de Jaraguá do Sul

Por: Áurea Arendartchuk

14/02/2024 - 06:02

A secretária de Educação de Jaraguá do Sul, Emanuela Wolff, deixou o cargo ontem após permanecer um ano à frente de uma das pastas mais importantes da Prefeitura. Ao ser procurada pelo OCP, Manu, como é conhecida, disse que tomou a decisão para assumir novos projetos, não descartando a possibilidade de concorrer ao cargo de vereadora nas eleições municipais deste ano.

Ela sai dentro do prazo de desincompatibilização, em que a lei exige que secretários municipais que desejam se candidatar ao Legislativo devem deixar o cargo em um prazo de até seis meses antes do primeiro turno das eleições. O primeiro turno está marcado para 6 de outubro.

Em um comunicado oficial, Emanuela agradeceu aos alunos, professores, funcionários e pais. “Vocês são a inspiração por trás do meu amor pela educação e do meu compromisso contínuo com o crescimento e sucesso de todos”, destacou. Manu também salientou que seu tempo à frente da Secretaria foi “uma jornada incrível, repleta de amor, aprendizado e desenvolvimento”.

Nova secretária

Com a saída de Emanuela, Iraci Müller, atual diretora pedagógica da Secretaria de Educação jaraguaense, assumiu o comando da pasta ainda ontem.

Iraci tem grande experiência na área educacional, com mais de 30 anos dedicados a esta área. Professora formada em Matemática e Ciências Econômicas, é mestre em Educação. Além disso, já integrou o Conselho Municipal de Educação (Comed) e o Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Outras saídas

Além de Manu, outros secretários também devem se afastar da Prefeitura jaraguaense para concorrer à Câmara ou quem sabe até estar na lista de possíveis vices do prefeito Jair Franzner (MDB) que é candidato natural à reeleição. Entre estes estão o presidente do Samae Onésimo Sell, o secretário de Saúde Alceu Moretti, a secretária de Cultura, Esporte e Lazer Natália Petry. Todos bons puxadores de votos.

Projeto para ampliar transporte por meio de vans é aprovado em 1ª votação

A Câmara jaraguaense aprovou ontem em primeira votação um projeto que está dividindo as opiniões em Jaraguá do Sul. O projeto autoriza que motoristas de vans e micro-ônibus possam transportarem tanto alunos como público em geral, desde que separadamente.

A proposição assinada pelos vereadores Sirley Schappo (Novo), Rodrigo Livramento (Novo), Nina Camello (PP) e Jeferson Cardozo (PL) estava tramitando na Câmara desde 2022 e ocorreu em razão de uma limitação de atuação profissional, que exigiu aos condutores a escolha em transportar público escolar ou passageiros sob regime de fretamento.

Com esta mudança aprovada em primeiro turno, os parlamentares defendem que os trabalhadores poderão ampliar o rol de usuários transportados, aumentando a oferta de transporte público em Jaraguá do Sul, e, principalmente, se recuperar financeiramente dos impactos da pandemia, que muito afetou o setor. O projeto agora segue para análise em segunda votação. A matéria completa com os prós e contras sobre esse projeto será publicada pelo OCP esta semana.

Credenciamento

As longas filas de espera e dificuldades financeiras para famílias que necessitam de tratamentos e diagnóstico para crianças, foi tema de discussão no plenário da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul na sessão de terça-feira (13). Por conta disso, o vereador Luís Fernando Almeida (MDB), apresentou uma moção solicitando à Prefeitura a realização de termos de credenciamento para clínicas e entidades interessadas em oferecer serviços de diagnóstico, reabilitação intelectual, TEA e estimulação precoce.

Tratamento

Segundo o texto da proposição, o Município realiza atualmente uma média de 50 diagnósticos por mês, mas a fila de espera ultrapassa 700 crianças. Cerca de 200 aguardam tratamento pós-diagnóstico, enfrentando dificuldades no acesso à reabilitação. Para Almeida, esta iniciativa não apenas reduzirá a fila de espera, mas também garantirá que os pacientes recebam os cuidados adequados desde cedo, diminuindo os riscos de diagnósticos tardios. A moção foi aprovada por unanimidade e enviada ao Executivo.