Aproveitando que estamos vivenciando mais um Outubro Rosa, que tal abordar o tema câncer de mama com outro olhar? Começamos pela definição. O que é câncer: são células que crescem de forma desordenada, com metabolismo diferente dos outros tecidos. Gostam de ambiente ácido e não precisam de muito oxigênio para sobreviver.

Para refletir: qual é a função da mama? Basicamente, nutrir a prole, manter o “ninho”. Sempre percebo o sentido biológico do órgão afetado. Por isso, vale pensar sobre ocorreu quando um câncer na mama ocorreu. A paciente estava passando por algum conflito relacionado ao “ninho” (nutrir o filho, filhos, família) com um sentido de não se sentir capaz?

Sabemos que a genética influencia mais ou menos 20%, o restante é determinado pela epigenética, ou seja, o ambiente em que vivemos e como vivemos (alimentação, exercícios, família, trabalho, sono, tensões emocionais). Estes fatores determinam 75% da nossa qualidade de vida. Com os nossos hábitos, podemos silenciar ou não genes da doença.

Uma vez diagnosticado o câncer, já não podemos falar em prevenção. Prevenção se faz antes de aparecer uma célula tumoral, com alimentação equilibrada, gerenciamento do estresse, tendo cuidados pessoais com a saúde, uma boa orientação profissional. Quando o corpo, ou seja, a vida está toda bagunçada, você está dormindo mal, comendo mal, sedentária, com estresse descontrolado, o emocional abalado, há um terreno biológico favorável para qualquer tipo de desordem, seja um infarto, uma infecção urinária, uma anemia que não melhora, até mesmo um câncer.

O tumor não cai do céu de um dia para o outro e se instala na mama. As células vão se desorganizando aos poucos. Antes de aparecer uma lesão estrutural no órgão, ocorre uma lesão de átomos, moléculas e depois alteração de células e tecidos. O processo leva um tempo para acontecer. Normalmente, antes do diagnóstico, acontece um estado de adormecimento para a vida pessoal, onde a saúde não é prioridade.

O que fazer para prevenir? O autoexame é interessante até mesmo para se conhecer. Mas, os cuidados diários com a saúde são essenciais. Escolha alimentos mais nutritivos e com menos agrotóxicos, ingira água de qualidade, durma mais cedo, controle o estresse, observe as emoções mais frequentes. Quando estamos bem emocionalmente, o restante da vida vai bem.

Cristiane Molon

Médica especializada em nutrologia com pós-graduação em Prática Ortomolecular e Saúde da Família, além de cursar especialização em Medicina do Esporte.

www.cristianemolon.com.br

www.facebook.com/CristianeMolon

instagram/dracristiane.molon