Se perguntarem pra mim qual foi o período em que mais me diverti na noite, com certeza, irei dizer do início dos anos 90 até o início dos anos 2000, isso porque quando saíamos de casa, era com o real sentido de buscar a diversão, encontrar com os amigos e dançar até a exaustão.

Isso tudo com raríssimos registros fotográficos, filminhos em slow motion, ou bumerang.

Dias desses alguém perguntou se eu tinha fotos da Marrakech, fui obrigado a responder para a pessoa, que naquele tempo, nós nem imaginávamos levar uma câmera fotográfica para uma balada, pois fotos além da revelação ser caríssima, eram reservadas para momentos especiais.

A única vez que levei algo para fazer um registro na Marrakech, foi no primeiro semestre da faculdade (1992, mais precisamente), que inventamos de ser diferentes e para a disciplina de Sociologia, e ao invés de fazermos um trabalho com simples apresentação como todos os outros colegas de classe, resolvemos fazer isso tudo em vídeo.

O assunto era o comportamento do jovem na noite, assunto polêmico, pois abordava não somente a questão da diversão, mas a utilização de drogas lícitas e ilícitas para isso. Imaginem eu, na Marrakech, com um trombone de uma câmera VHS, filmando o show da extinta banda H²O de Joinville e após o show, sendo o cinegrafista para as entrevistas feitas pelos meus colegas, com pessoas do público.

Hoje com um celular em punho seria muito mais fácil fazer tudo isso, né? Só que aí é que mora o problema. As câmeras, as selfies, filminhos parece que se tornaram os protagonistas da noite e a noite em si, um mero coadjuvante.

Nos dias de hoje, em qualquer ambiente que você vá, irá encontrar alguém colado na tela de um celular. Pode ser num bar, num aniversário, casamento e até em velório. Acredito que as pessoas muitas vezes deixam de se divertir para verificar quantos likes teve a foto recém postada, com o famoso “bico de pato”, junto com a amiga em frente ao espelho do banheiro.

O que fez com que eu escolhesse esse tema para discorrer essa semana, é que estava mexendo aqui no meu arquivo de fotos e encontrei uma pasta com o título: Show Ivete Sangalo 20 anos. Parei para fazer uma análise e vi que não curti nem a metade do show dela pois fiquei preocupado em fazer fotos dos melhores ângulos do show e também filminhos, para ter guardado o registro.

Mas espera aí, fotos, vídeos, tudo isso não traz consigo a mesma emoção e magia do “ao vivo”. Fiquei pensando: “put´s, perdi de dançar música tal porque não podia pular muito, senão o vídeo ou a imagem iria ficar tremida”, penso hoje: a mulher cantando ali na minha frente e eu preocupado com isso? Tudo bem, tirar uma ou outra foto para se ter o registro, mas perder boa parte do show querendo fazer registo? Acredito que aprendi a lição.

Que possamos ser mais presentes, aproveitarmos mais os momentos com aquelas pessoas que são especiais, deixar um pouco de lado tantos registros que servirão apenas de lembranças e que possamos viver mais o presente.

Acredito que aí esteja também a resposta sobre o período que mais me diverti na vida, ou seja início dos anos 90 (tempos da Marrakech) quando eu não tinha celular e também no início até meados dos anos 2000 (tempos da Notre), quando eu até tinha celular, mas as funções dele se restringiam a fazer chamadas ou enviar/receber mensagens SMS (populares torpedos), isso quando se tinha crédito...Vale ressaltar que meu primeiro celular com câmera, foi adquirido no ano de 2010.

Então, que possamos viver mais o presente e não deixar para admirá-lo em fotos ou vídeos no futuro.

No Pirata

O acústico US2 Pop Rock é a atração no Pirata na noite de sábado.

Atenção marujarada esperta, logo mais, a embarcação do rock estará zarpando para mais um final de semana regado a muita música boa, cerveja gelada e aquela galera esperta que busca um lugar legal para curtir bons momentos na companhia de amigos.

O agito todo inicia nessa sexta-feira (17) com a banda Voyage 66, que traz no seu repertório os clássicos de bandas como o Nirvana, Beatles, Foo Fighters, The Black Keys, Creedence, Queen, The Doors, R.E.M., Black Sabbath, Kings Of Leon.

No sábado (18) é a vez do duo acústico US2 Pop Rock fazer sua apresentação no palco da casa, contando com o violão de Beto Fabin e a voz de Fabio Muller cantando os clássicos que embalaram a juventude dos anos 80 e 90.

Vale lembrar que a censura da casa é de 18 anos, sendo que menores devem ser acompanhados pelos pais. Obrigatória apresentação de documento com foto.

Reservas de mesas e maiores informações é só ligar para o fone: (47) 98407-9266.

The John

Toda a irreverência e musicalidade da banda Código de Bar nessa sexta, no The John.

A cidade aos poucos voltando ao seu ritmo normal, e o The John volta com tudo para a temporada 2020 apresentando nessa sexta-feira (17), uma das melhores, mais irreverentes e carismáticas bandas da região que é a Código de Bar. A banda traz no repertório o melhor do bom e velho rock’n’roll. Além de tudo isso a sintonia com o público é uma das características marcantes da galera do Código.

Vale lembrar que o The John abre suas portas às 19h, já dá pra fazer aquele happy hour legal aproveitando as delícias apresentadas no cardápio da Casinha mais charmosa da Domingos da Nova.

Para quem não sabe ainda o The John American Pub fica coladinho na Studio FM.

Champagne

A 12ª edição da Festa do Champanhe agita o Baependi no mês de março.

O amigo Moa Gonçalves a mil por hora na organização do “frege” (como ele próprio diria), que será a 12ª Festa da Champagne que deverá acontecer no dia 12 de março, agitando o salão do “aristocrático” Clube Atlético Baependi.

Muitas surpresas estão sendo preparadas para essa tradicional festa, que reúne o “crème de la crème” da sociedade jaraguaense e região.

Pomerana

As Majestades da 37ª Festa Pomerana que acontece entre os dias 15 e 26 de janeiro na vizinha Pomerode.

Desde o último dia 15, a tão hospitaleira cidade de Pomerode recebendo turistas e o povo da região para curtir a 37ª edição da Festa Pomerana. diga-se de passagem, uma das mais tradicionais e bem organizadas festas que enaltece a cultura dos nossos antepassados vindos da Alemanha.

Venha, traga sua família para se deliciar com as comidas típicas, competições, desfiles, muita música e os grandiosos e animados bailes são os atrativos de uma das mais organizadas e tradicionais festas da Região.

Só lembrando que a festa acontece do dia 15, até o dia 26 de janeiro tendo por local o Parque Municipal de Eventos de Pomerode, situado na Av. 21 de Janeiro, 2700, no Centro.

Vamos embora porque a litorina não espera.
Até semana que vem!