Como é interessante, né? Quando crianças nunca damos valor para certas coisas, que com o passar do tempo tornam-se primordiais para nossa formação como seres humanos. A primeira delas é a educação.

Fui criado numa família tradicionalmente jaraguaense, onde os valores sempre foram tratados como primordiais. O respeito com as pessoas, principalmente os mais velhos, era algo que jamais poderia faltar.

Pronomes de tratamento como você, deveriam ser banidos quando falávamos com alguém de mais idade. Professores não eram chamados pelo primeiro nome, muito menos por apelido, sempre eram precedidos por Professor fulano de tal, ou no máximo de “Tio” ou “Tia”, quando éramos mais crianças.

Nos dias de hoje Professor é chamado pelo nome, pelo apelido, pai e mãe chamados de “cara”, “velho” ou “velha”. É, as coisas mudaram! Será que todas essas mudanças que estão acontecendo valerão a pena? Eu prefiro acreditar que é somente uma fase, prefiro acreditar que no futuro, as crianças de hoje possam resgatar esses valores.

Para ilustrar tudo isso, lembro de uma história que aconteceu comigo lá no final dos anos 80, quando estava cursando a 8ª série e fui estudar no HOMAGO – Colégio Estadual Holando Marcellino Gonçalves. Lá no HOMAGO, a maioria das Professoras eram minhas primas e eu as chamava pelo nome. Certo dia, fui advertido por uma Professora, que disse que eu deveria chamá-las de Professora, pois na escola, o papel delas era esse e não simplesmente minhas primas.

Além do mais, meus amigos também estavam começando a chamar todos os outros Professores pelo nome, não os tratando mais como Professores.

Na época, fiquei meio revoltado com isso...imaginem só, adolescente, com aquela sensação de ser incompreendido pelo mundo, com aquela vontade de contestar a tudo o que o “sistema” impunha, não dei muita bola para os conselhos daquela Professora e continuei a chamar minhas primas pelo nome.

Que coisa boa que o tempo passa e podemos aprender com ele. Hoje, na posição de Professor, vejo o quanto eu estava errado agindo daquela forma. Afinal de contas, elas sempre serão minhas primas, porém, naquele tempo, eram minhas Professoras e eu deveria tê-las tratado com o devido respeito que mereciam.

Talvez seja por essa falta de respeito, algo tão simples como tratar o Professor como Professor, que assistimos a todas essas barbáries que acontecem nos dias de hoje em salas de aulas espalhadas pelo Brasil afora...

É, o tempo passa e as coisas mudam (ainda bem!), o respeito é importante e nunca sairá de moda, embora o que mais tentam fazer é querer desbancá-lo.

Acredito ainda que o respeito e o sorriso, são as duas armas mais poderosas que possuímos. Se quisermos ser bem tratados em qualquer lugar, sejamos respeitosos e que possamos ostentar sempre um sorriso nos lábios, com certeza, isso fará toda a diferença.

No Pirata

Uma das atrações dessa sexta-feira no Pirata é a banda Casa de Róque!

Povo do rock, bora pra mais um final de semana daqueles, embalado por muita música, diversão, uma partidinha de sinuca e a cerveja sempre trincando de tão gelada? Pois então, a dica é dar um giro pelo Pirata Rock Bar.

Nessa sexta-feira (22), no palco principal da casa, as bandas Princípio Ativo e Casa de Róque fazem a festa! Princípio trazendo as melhores do Pop Rock Nacional e Internacional, já a Casa de Róque, tocando os clássicos do Rock ‘N' Roll dos anos 60 e 70.

No sábado (23), a galera esperta do Curso de Design de Mosa da Católica, agitam uma Pastelada no Pirata. O agito inicia às 11 da matina e irá se estender até ás 20h.

Serão servidos pastéis de Frango, Frango com palmito, Frango com catupiry, Carne, Pizza, Queijo e Palmito, e os sabores doces Chocolate preto, bananinha. De quebra fazendo o som pra galera, Chico Sergio e a banda Taberna Russa.

Vale lembrar que a censura da casa é de 18 anos, sendo que menores devem ser acompanhados pelos pais. Obrigatória apresentação de documento com foto.

Reservas de mesas e maiores informações é só ligar para o fone: (47) 98407-9266.

The John

No sábado tem Rock de Segunda no The John (foto Marcelo Luís).

A Casinha mais charmosa da Domingos da Nova, preparando um final de semana para ficar na história, com tributo e tudo mais!

Para começas, nessa sexta-feira (22), o pessoal que é fã do Pearl Jam irá ficar eufórico, com a banda NO CODE, eles que voltam ao palco do The John, trazendo na bagagem seu tributo ao Pearl Jam.

No sábado (23), é a vez de toda a irreverência e musicalidade da banda Rock de Segunda, capitaneada pelo amigo Denis Hohl, que volta ao palco do The John com seu repertório de clássicos do rock e suas músicas autorais, Com certeza, uma boa pedida para a noite de sábado.

Para quem ainda não sabe, o The John, fica coladinho na Studio FM.

Fica o convite.

Bazar Amoração

No início de dezembro, vai rolar mais uma edição do Bazar Amoração.

Galera querida dos voluntários e voluntárias do Hospital São José aqui de Jaraguá, preparando com o maior carinho mais uma edição do Bazar Amoração.

Nele você poderá encontrar roupas novas e seminovas, decoração, cama, mesa e banho, brinquedos e muitas novidades.

O bazar acontece na Casa São José, situada na Rua Guilherme Weege, número 114, no Centro da cidade, já na primeira semana de dezembro (de 05 a 07/12 e nos dias 13 e 14/12). Lembrando que para as compras, são aceitos cartões de débito e crédito.

Com certeza, uma boa pedida para você que pensa em dar uma repaginada no seu guarda-roupas gastando pouco e de quebra, auxiliando os trabalhos dos voluntários.

No Rooster

O Rooster continua em reformas para melhor atender sua clientela.

Atenção rapaziada, o “bar mais galo da cidade” continua com suas portas fechadas temporariamente, recebendo uma repaginada para receber seus clientes da melhor maneira possível, num ambiente mais moderno e aconchegante.

Então, você que curte as delícias do cardápio da casa, o negócio é ter um pouquinho de paciência que está vindo coisa boa por aí.

Mais novidades em breve.

Vamos embora, porque a litorina não espera.
Até semana que vem!