Lembro dos idos dos anos 80, quando meus pais tinham loja e chegava essa época do ano e nós começávamos a correria e planejar as vitrines de Natal. Tudo tinha que ser muito bonito e perfeito, pois até concurso de melhor vitrine natalina existia na cidade.

Apesar da pouca idade que eu possuía naquele tempo, eu era o “Diretor Criativo”, das vitrines das nossas lojas, eram três vitrines na loja da Marechal e mais duas vitrines na filial que ficava na Reinoldo Rau. E as vitrines de Natal eram a coroação do trabalho realizado durante o ano todo.

Não é a toa que tenho aqui em casa guardado três troféus de 2º lugar nos concursos de vitrines. O segundo lugar na época era um grande feito, isso porque existiam lojas maiores e que investiam pesado na decoração.

Durante o ano, quando minha mãe viajava para o Rio de Janeiro e São Paulo, para fazer as compras para abastecer nossas lojas, lá estava eu, aquele pirralho pendurado do lado dela, sempre observando as vitrines, as tendências da moda, tudo isso para chegar aqui em Jaraguá e poder expor da melhor forma as roupas que ela comprava.

Criava cenários. Sim, naquele tempo as vitrines mais belas tinham cenário que faziam com que os clientes criassem em suas mentes uma história, ou pudessem entender que aquela roupa exposta, poderia ser utilizada em tal ambiente.

Para que tudo isso fosse feito, além das observações das vitrines em São Paulo ou no Rio, pedia para minha mãe comprar revistas (geralmente importadas) especializadas em vitrines, manequins e perucas cujos penteados deviam seguir as tendências da moda.

Lembro com carinho de certa vez que o Cabeleireiro Cali falou que uma peruca da nossa loja, fora sua primeira cliente no salão que ele tinha recentemente aberto aqui na cidade.

Com o passar do tempo e as reviravoltas da vida, afastei-me desse caminho e comecei a trilhar pelos caminhos da Educação, mas ainda aquela chama de observador e de sempre ser antenado no universo da moda continuam firmes e fortes impregnados na minha pessoa.

Não sei se as coisas mudaram, se as tendências são outras, mas não consigo ver mais em nossa cidade, vitrines que chamem a atenção dos clientes, pois elas não trazem mais a magia dos cenários, o cuidado com a iluminação que serve para destacar tal peça ou a forma de expor os produtos.

O que vejo nos dias de hoje, são simplesmente roupas expostas, sendo raríssimas as lojas que se preocupam com os detalhes que falei, a maioria pensa que jogar uma roupa num manequim ou colocar os produtos espalhados pelo chão, está de bom tamanho.

Em algumas lojas, penso que existe aquela ideia de “vamos expor o máximo de produtos, para mostrar tudo o que a loja oferece”, criando com isso uma poluição visual sem tamanho, que ao invés de atrair o cliente, faz ele sair correndo.

fica a ideia para o CDL de reeditar esses concursos de melhores vitrines, pois quem ganha é o consumidor com o show de imagens e o lojista, atraindo o cliente através da exposição dos seus produtos, fazendo com que ele adentre o seu estabelecimento.

Ah, vale lembrar que os custos para que as vitrines das lojas dos meus pais fossem montadas, não eram elevados, pois sempre buscávamos parcerias com outros estabelecimentos, emprestando algum móvel, parte de um cenário ou mesmo acessórios para incrementar os produtos expostos, nunca esquecendo de pôr uma plaquinha: “Gentileza, loja tal.”

Fica aqui a dica.

No Pirata

Tripulação preparada para dar início a mais uma viagem com destino ao final de semana, encontro com amigos, música de qualidade, cerveja sempre gelada nos freezers e muitas possibilidades!

Dando início a tudo isso, nesta sexta-feira (22), quem sobe ao palco da casa pela primeira vez, é a banda Isis, que traz um repertório fundamentado nos clássicos do mais puro rock’n'roll. Para abrir essa noite maravilhosa, o músico Junior Santiago, se apresentando num formato acústico pra animar a galera e deixar o povo no clima.

No sábado (23), é de muito rock’n'roll com a banda Crazy Maria, que traz ao palco um repertório de pop e rock nacional e internacional. E mais a banda Conexão 47 que vem ao palco do Pirata com um tributo a banda Charlie Brown Jr.

Lembrando que torna-se obrigatório o uso de máscaras ao circular pelo bar, álcool gel para higienizar as mãos e o distanciamento das mesas e pessoal. O público está limitado a 30% da capacidade da casa.

Ressaltando que as casas noturnas têm autorização de funcionamento para atendimento aos clientes exclusivamente sentados, permanecendo proibido o acesso à pista de dança e o consumo por parte de pessoas que estejam fora de mesas. As mesas poderão ter no máximo 4 pessoas.

Casa Treë

E na casinha mais simpática e badalada da Domingos da Nova, o final de semana promete para a moçada mais descolada, bonita e animada da cidade.

Na sexta-feira (22), muito funk e hip hop pra galera se divertir de verdade ao som desse que é o ritmo do momento. No comando do som, nada mais nada menos que o DJ Ozbits que irá colocar a galera pra dançar.

No sábado (23), o ritmo é o da música eletrônica, com a festa Jardim Eletrônico, com os DJ’s Krag e Sergio Hernane no comando da balada que irá agitar a galera que frequenta o espaço da Casinha mais simpática da cidade.

Vale lembrar que a casa Treë atende também pelo delivery, se você quiser provar as delícias da Casa, basta ligar para o número: (47)99700.7159, solicitar o cardápio e fazer seu pedido.

A casa Treë fica na Rua Domingos da Nova, bem ao lado da Studio FM.

Costelaço

No próximo domingo, dia 31, vai rolar mais uma edição do Costelaço do Pirata Rock Bar. Com certeza, um dia daqueles pra reunir os amigos e se deliciar com aquela costela fogo de chão, cerveja gelada e muito rock n'roll.

No dia estarão se apresentando as bandas Código de Bar, Moonrise, US2 Pop Rock e Lemuca, com certeza, música boa não irá faltar. Então, é reunir a galera e partir para mais esse grande evento que leva a assinatura da "embarcação mais rock'n'roll da cidade.

As reservas podem ser feitas pelo telefone (47) 98407-9266.

Vale lembrar que a censura é 16 anos. Menores de 16 anos, apenas acompanhado com os pais, sendo obrigatório a apresentação de documento com foto.

Vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!