Pois então, estou escrevendo minha primeira coluna como um sujeito cinquentenário. Antes que vocês me perguntem, nada mudou, continuo com as mesmas ideias de uma semana atrás, só que um pouco mais amadurecido...hahahaha!

Vocês já ouviram a frase: “Quem vive de passado é museu?” Acredito que eu deveria ser museólogo, pois é cada lembrança que habitam a minha mente que eu vou contar pra vocês. São pensamentos de quem teve o privilégio de viver em outros tempos, conhecer pessoas, lugares e até comportamentos diferentes dos que temos agora.

Queira vocês acreditem, ou não, sou da época em que morávamos numa casa na Reinoldo Rau, que não tinha portão e apesar disso tudo, nos dias de calor, meus pais dormiam com a janela aberta para poder refrescar a casa.

E não eram só as casas que ficavam com a janela aberta, os automóveis também ficavam estacionados nas ruas com janelas abertas e portas destravadas, se duvidar, até com pertences sobre o banco, pois ninguém se atreveria em furtar alguma coisa.

Inclusive, lembro um fato pitoresco envolvendo minha mãe que saiu da empresa que era dela e do meu pai, avistou um Corcel I na cor verde, carro que eles tinham na época, entrou no bendito Corcel e ficou esperando meu pai chegar. De repente veio um senhor abriu a porta do carro e sentou-se nele.

Minha mãe já pronta para armar o barraco, quando ela avista meu pai na calçada e meu pai já dizendo que o carro estava estacionado no outro lado...imaginam a cara da minha mãe, e daquele senhor que teve o carro invadido por ela.

Essa semana começamos a lembrar de diversas pessoas que em algum momento da nossa vida, tivemos contato e o clima nostálgico, tomou conta da mesa de refeições aqui em casa.

Lembramos da sorveteria da Dona Vanda, que ficava na Marechal, do Bar do Oly ao lado da sorveteria da Dona Vanda, da bar e lanchonete Otto e da Dona Fany no caixa, o inesquecível Bar do Walmor no Posto Marechal e as deliciosas panquecas preparadas pela Dona Erna, o carrinho de lanche do Gordo em frente a Matriz São Sebastião e a deliciosa maionese caseira, preparada pela dona Júlia.

Falamos em ir na loja da Dona Hilária e sermos atendidos pela própria Dona Hilária no caixa, da dona Erna na Clímax Magazine, Dona Tecla nas lojas Fruet, Dona Carmem no Breithaupt, Seu Moritz que cuidava do parquinho na Guilherme Weege e tantas outras pessoas que fizeram história na Jaraguá de outros tempos.

Tenho certeza, que muitos leitores irão se lembrar de toda essa gente boa, que estou falando aqui. E como era bom viver aqui em nossa cidade, que apesar de ser considerada “provinciana” alcançou o posto de 3º parque fabril do estado de Santa Catarina.

Fico aqui pensando, será quais as pessoas da nossa cidade que serão lembradas daqui há 20, 30 anos? Tomara que tragam consigo muitas lembranças boas e que possam se tornar temas de conversas e de boas lembranças como as que tivemos aqui em casa essa semana.

Quanto as portas e janelas abertas, tanto nos automóveis como nas casas, acredito que não seja mais possível, mas é o preço que pagamos pelo crescimento e desenvolvimento da população.

Bom, pelo menos consegui falar pra vocês, ou quem sabe, fazer relembrar como eram as coisas na Jaraguá de outros tempos.

No Pirata

Mais um final de semana chegando e a embarcação içando velas para partir rumo ao horizonte do rock. Na bagagem, cerveja gelada, um bando de amigos e todas as delícias entre lanches e petiscos descritas no cardápio.

Para dar o start a tudo isso, nessa sexta-feira (10), o agito é em dose dupla, com o duo acústico da banda Moonrise traz no seu repertório, muito pop e rock nacional e internacional. Dando abertura na noite, quem toca é a dupla The Cash com clássicos do rock n'roll.

No sábado (11), quem sobe ao palco do Pirata é a galera da banda Vintage Cult. Os caras, já conhecidos da galera, vem com seu repertório com muito rock n'roll, tocando os sucessos de ontem, hoje e sempre. E a abertura fica por conta de Elton Faneco tocando clássicos do rock n'roll num formato acústico.

Lembrando que torna-se obrigatório o uso de máscaras ao circular pelo bar, álcool gel para higienizar as mãos e o distanciamento das mesas e pessoal. O público está limitado a 30% da capacidade da casa.

Ressaltando que as casas noturnas têm autorização de funcionamento para atendimento aos clientes exclusivamente sentados, permanecendo proibido o acesso à pista de dança e o consumo por parte de pessoas que estejam fora de mesas. As mesas poderão ter no máximo 4 pessoas.

Casa Treë

Na casinha mais simpática da Rua Domingos da Nova, o final de semana já está todo esquematizado, para atender tanto ao público que curte as batidas da música eletrônica, como aqueles que curtem funk e hip hop.

Na sexta-feira (10), o clima esquenta na casa, com o que há de melhor no funk e hip hop, pelas mãos do DJ Will Toffol. Lembrando que a Treë abre suas portas a partir das 18h e a entrada é R$10,00.

No sábado (11), o ritmo muda e a e-music toma conta do espaço, fazendo o povo curtir e dançar com o Jardim Eletrônico, previamente preparado pelos DJ’s Freitag e KDK. No sábado, o bar também abre suas portas a partir das 18h.

Para quem quiser, a casa Treë atende também pelo delivery, se você quiser provar as delícias da Casa, basta ligar para o número: (47)99700.7159, solicitar o cardápio e fazer seu pedido.

A casa Treë fica na Rua Domingos da Nova, bem ao lado da Studio FM.

Feijoada Dream

No sábado (11), o Dream Garden espaço de festas e eventos, realiza a sua primeira Feijoada. Para aqueles que ainda não sabem, o Dream Garden, fica na Rua Manoel Francisco da Costa, número 161 no bairro Vieiras aqui em Jaraguá do Sul.

Fica aqui a dica para o almoço de sábado, para aqueles que quiserem escapar do fogão nesse dia. Só para constar, a Feijoada será servida com todos os acompanhamentos exigidos pelo prato. E para quem almoçar no local, rola ainda uma caipirinha na faixa. No local haverá um espaço kid’s com monitora e distribuição de pipoca.

Maiores informações, bem como as reservas, poderão ser feitas ser feitas pelo fone (47)99919.8589.

Fica o toque!

Vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!