Sou fruto da geração dos anos 70, como muitos que lêem minha coluna. Não sei se sou somente eu, mas de um tempo pra cá, vejo que as coisas estão ficando cada vez mais chatas, monótonas, tudo é errado, tudo passa a ser encarado como preconceito.

Nossa geração teve ídolos gays na música, nas novelas, nas artes em geral e ninguém saía batendo no peito tentando se auto afirmar por sua condição sexual, eles era talentosos e pronto, isso por si só já bastava.

A questão racial que hoje gera embates estrondosos, também era encarada de outra forma. Pois ali, bem mais que o tom da pele, o que se dava importância era o ser humano que habitava por trás daquela carcaça.

Será que éramos tão ingênuos, ou será que isso tudo não fazia diferença? Esses dias postei uma foto do meu tempo de infância na escola em um grupo do Facebook e entre todos os comentários, um me chamou atenção, vou transcrevê-lo: “Que pena não tem nenhum pretinho na foto.” Gente amada, fiquei tão triste com esse comentário, que quase excluí a foto.

Na época, nem passava por nossas cabeças essas questões, queríamos mais é ter amigos para brincar e quanto mais amigos, melhor, pois nossas brincadeiras tornavam-se mais divertidas quando tínhamos um bando de gente para interagir.

Já falei esses tempos que acredito que estou ficando muito chato, mas isso é culpa do politicamente correto.

Hoje temos que cuidar com que vamos falar e até mesmo postar nas redes sociais. Até mesmo para escrever essa crônica, estou tentando ter cuidado com que vou escrever para não ser mal interpretado.

Ô mundo chato, ô gente chata! O maior preconceito somos nós que criamos, principalmente quando pensamos somente na questão dos direitos e esquecemos que também temos deveres para cumprir.

Todo esse papo trouxe para minha memória um dos meus programas de televisão favoritos na minha infância, que era “Os Trapalhões”. Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, cada um com suas peculiaridades, suas diferenças, suas formas de agir e de pensar, mas todos eles se entendiam.

Um zoava com a cara do outro, mas no próximo quadro, estavam todos bem, todos amigos, sem essa história de mimimi que vemos nos dias de hoje.

Imaginem só o Didi dizendo “Audácia da Pilombeta”, ou chamando o Mussum de bêbado, ou ainda arrancando a peruca do Zacarias! Na segunda-feira, já era motivo de abrir processo, registrar um B.O. e por aí vai.

Por isso que falei no início, que não sabia se éramos ingênuos ou o que era. Mas cheguei à conclusão que éramos bons, que éramos amigos e que só isso bastava.

Ah, quem me dera poder voltar no tempo, reviver todas essas histórias e procurar descobrir em que capítulo da história nós erramos. Será que foi pelo fato de oferecer tudo de mão beijada para essa geração que veio depois de nós?

Pois então, sempre tive medo de ser considerado careta, mas acredito que se for desse jeito, prefiro mil vezes ser o caretão, o Tio da Sukita dos anos 2021!

No Pirata

Alô galera que curte um lugar legal para curtir na companhia dos amigos, tomar aquela cervejinha pra lá de gelada, num ambiente especial, acompanhados de uns lanchinhos e petiscos, ouvindo uma musiquinha ao vivo, não podem deixar de dar uma chegadinha no Pirata!

Nessa sexta-feira (16), quem estará se apresentando no palco da casa é o músico Elton Faneco e seu acoustic rock. No repertório o melhor do pop rock nacional e internacional.

Lembrando ao público, que devemos manter os cuidados seguindo todas as normas de segurança conforme orientação da prefeitura de Jaraguá do Sul. Sendo que o limite de pessoas no bar é de 30% da capacidade, mesmo a equipe do Pirata orienta para que todos mantenham a distância de segurança entre pessoas e tragam suas máscaras. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

As mesas poderão ter no máximo 4 pessoas, ao transitar pelo bar você deve estar usando máscara.

Choripan

Uma nova pedida na área da gastronomia é a Choripaneria Raiz.

Desde o último dia 13, foi inaugurado na Angelo Rubini 418, na Barra do Rio Cerro a Choripaneria Raiz. O nome da iguaria servida pela casa, vem do espanhol, CHORIZO e PAN, ou seja, pão com linguiça.

Para entender melhor, CHORIPAN é o pão com linguiça, que geralmente é temperado com chimichurri ou vinagrete. Outro detalhe importante, na Choripaneria RAIZ as linguiças servidas são artesanais, produzidas da forma mais natural possível, pelo pessoal da casa mesmo.

A Choripaneria Raiz funciona de terças aos sábados no horário das 18h30min às 23h. e atende seu público através de delivery. Para fazer seu pedido basta ligar para o número (47)98852.4565, ou clicar aqui!

Sucesso é o que desejo ao Gui e a Jack!

Dia do Vinil

Para os amantes e colecionadores dos discos de vinil, nos próximos dias 17 (das 10 às 22h.) e 18 (das 12 às 20h.), estará acontecendo na praça de alimentação do Jaraguá do Sul Park Shopping, o Dia do Vinil.

Serão 6 quiosques com expositores de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, com diversos títulos de discos para vendas e trocas. Com certeza uma oportunidade pra lá de especial para colecionadores e para o povo que curte o som das bolachas.

Costelada

Lembrando que o Pirata Rock Bar está preparando para o próximo dia 24 de abril a sua tradicional Costela Fogo de Chão. O almoço tem seu início marcado para às 11h., sendo o primeiro lote já está sendo comercializado por R$30,00, dando direito a entrada + almoço.

Os ingressos podem ser adquiridos no bar, sendo que eles serão limitados. Se quiser reservar mesas, você poderá ligar para o número (47)98407.9266 e fazer sua reserva. Vale lembrar que as mesas poderão ter apenas 04 pessoas. ⠀⠀

No dia, shows com Chico Sergio, Elton Faneco e a banda Vintage Cult. ⠀

Ah, outra coisa: Para quem quiser adquirir a costela para comer em casa, pode passar no bar retirar.

Vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!