Em tempos de aulas remotas, o computador sem sombra de dúvidas, tornou-se nossa principal ferramenta de trabalho. É óbvio que quando falo em computador, também falo da Internet para que possamos estar conectados ao universo virtual.

Desde a semana passada, estou encontrando diversas dificuldades para poder estar conectado, sendo que a principal delas gira em torno das frequentes quedas na conexão e o tempo perdido para tentar reconectar novamente a minha ferramenta de trabalho.

ontem mesmo quando estava participando de uma reunião de Colegiado de Cursos, a conexão da minha internet caiu e nem com um guindaste consegui reconectar novamente, o pior de tudo isso é que depois da reunião eu teria aula agendada com meus alunos e cada vez que tentava conectar o Teams, minha internet despencava.

Resolvi então ligar para o meu provedor de internet para ver se conseguia solucionar o problema e essa ligação acabou de me deixar mais apreensivo ainda, com aquela malditas gravações que você precisa ouvir para tentar solucionar seu problema.

O mais interessante de tudo isso é que você precisa ouvir praticamente todas as opções para que você possa escolher aquela que você precisa para que o reparo seja feito. “Para produtos e serviços, tecle 01, para mudanças de plano, tecle 02...para problemas com a sua internet, tecle 4.637, para falar com um dos nossos atendentes, tecle 4.638!”. (o número citado aqui é fictício, mas serve para ilustrar).

Teclei para falar com um dos atendentes, para minha surpresa, a atendente era um robô, que respondia somente questões pré-determinadas pela empresa de telefonia. Novamente vem aquela história: tecle 01 para isso, 02, para aquilo ou 03 para aquele outro, vejam só, minha paciência até então estava no limite dos limites e eu já ao ponto de ter uma síncope. Fiz todos os procedimentos indicados por ela, a internet voltou e eu todo feliz porque iria poder dar minha aula. Ao final da ligação, a senhora robô, passa um número de WhatsApp para eu entrar em contato caso a minha solicitação não tivesse sido resolvida.

Passaram-se 10 minutos, foi o tempo que eu deveria esperar conforme orientações da minha colega cibernética, verifiquei que minha internet estava funcionando e tentei me conectar no Teams novamente quem disse que consegui? Novamente a conexão despencou.

Então tentei contato por aquele número de whats, que a infame da minha “amiga” robô havia informado, seguindo o protocolo, identificação, CPF, número do telefone que eu estava requerendo os serviços, tecle 01 pra isso, 02, pra aquilo, 03 para aquele outro...

Nessa hora eu já estava quase infartando de tanta raiva, o coração parece que estava querendo saltar pela boca e ir dar uma voltinha pela Reinoldo para pegar aquela brisa da noite. Enfim, meu problema não foi resolvido, além do mais estou com a internet lenta pacas e não consegui dar minha aula por falta de conseguir conectar.

É minha gente, estamos virando refém das máquinas, entendo que a tecnologia é vital, porém, estamos nos tornando cada vez mais dependentes dela.

Se eu quiser um atendimento hoje, irei depender de máquinas para tentar solucionar meus problemas e que quase nunca são resolvidos por elas. isso sem falar na alta carga emocional e nível de estresse elevadíssimo que elas nos proporcionam.

Preciso falar com gente, preciso de respostas rápidas para tentar solucionar os meus problemas. Acredito que por isso, Theodor Heuss escreveu essa frase, que inclusive utilizei para abrir o primeiro capítulo do meu Trabalho de conclusão de Curso no meu tempo de estudante universitário: “Chegará um dia em que talvez as máquinas pensem, porém elas nunca terão sonhos.”
E nós seres humanos temos, e muitos...

No Pirata

No sábado tem Costelada no Pirata.

Nessa sexta (02), vai rolar voz e violão com Los Lokos, um projeto do vocalista Ruy e do guitarrista Jonas, que são integrantes da banda NBLA!, uma banda que já esteve agitando as noites do Pirata. Vale ressaltar que os caras vem com um repertório de tirar o fôlego, num super projeto acústico. Na sexta, a casa abre suas portas às 18h.

Já no sábado (03), tem a já tradicional Costelada do Pirata que vai funcionar desse jeito: as entradas serão vendidas a R$ 30,00 com direito a curtir os shows e almoçar uma costela de chão, ou pra quem quiser reservar mesa (até 4 pessoas) no valor de R$ 120,00 também com direito aos shows e almoço. Vale lembrar que as mesas são limitadas e para fazer a reserva, é só chamar no whats (47)98407.9266.

Fica o toque que o Pirata está seguindo todas as normas de segurança conforme orientação da prefeitura de Jaraguá do Sul, sendo que o público está limitado a 30% da capacidade, mesmo assim, a casa orienta para que todos mantenham as distâncias entre pessoas e tragam suas máscaras. As mesas poderão ter no máximo 4 pessoas, ao transitar pelo bar você deve estar usando máscara.

Carreteiro no Juve

Sábado rola delicioso arroz carreteiro, no Juventus

Neste sábado (03), além da já tradicional feijoada, o clube irá servir um delicioso arroz carreteiro, tendo por local o novo salão social do Estádio João Marcatto que foi todo reformado para acomodar você e a sua família.

Além do carreteiro e da feijoada, haverá um completo serviço de bar com aquela cerveja prá lá de gelada, refrigerante e muito mais.

Mas se você preferir almoçar no aconchego do seu lar, poderá buscar no estádio João Marcatto a partir das 11h30 ou pedir através do Delivery.

As reservas podem ser feitas pelo WhatsApp (47) 99690.9950.

Fica o convite.

Lembrem-se: Figurinha repetida não completa álbum, vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!