Lembrando das minhas aulas da disciplina Cidadania nos saudosos tempos do Instituto educacional Jangada, quando eu falava das dificuldades que o homem teria para viver só. Lembro que nessas aulas, sempre parafraseava John Donne com a célebre e tão peculiar citação: “Nenhum homem é uma ilha, completo em si próprio; cada ser humano é uma parte do continente, uma parte de um todo.”

Para ilustrar meu comentário, pedia que os alunos imaginassem morando numa casa e que para trabalhar, precisavam acordar mais cedo para ordenhar a vaca para obter leite, plantar o café, esperar que crescesse, florescesse, frutificasse, para depois colhê-lo, torrá-lo e finalmente preparar o delicioso café da manhã!

Isso tudo só para ter o café, daí teria o preparo da manteiga, queijo, presunto e outros itens que geralmente estão na mesa. Trabalheira, heim? Fiquei até cansado de escrever e com certeza, nem teria mais ânimo para tomar o café se eu tivesse que fazer tudo isso.

É tão fácil e prático para nós irmos até o supermercado e encontrar todos esses itens a nossa disposição bastando apenas desembolsarmos alguma quantia, né?

Pois então minha gente, acho um absurdo o que está acontecendo no momento de fecharem estabelecimentos classificando-os como essenciais ou não. Pra mim, essencial é o que traz o sustento para uma família. Não importa se é o cara vendendo algodão doce na praça, ou aquela loja que vende produtos importados, tudo torna-se essencial.

Se o tatuador, o cabeleireiro, barbeiro, lojista, tiver que fechar seu estabelecimento comercial, de onde ele irá tirar seu sustento?

Pior que toda essa “ditadura camuflada” parte daqueles que ao chegar o fim do mês, tem o seu obeso salário garantido em suas contas bancárias. e o pior de tudo, que quem paga esses salários somos justamente nós, que somos obrigados a ficar em casa, tendo nosso salário reduzido em 25, 30% e os estabelecimentos comerciais que têm que se sujeitar a ficar com suas portas fechadas.

Que tal se fizéssemos assim: “mantemos nossas portas fechadas, mas em contrapartida, não precisamos pagar os impostos por esse período em que estivermos fechados.” Ah, isso eu garanto que eles não querem.

Vocês podem até querer me julgar, dizendo que estou incitando a população a atirar-se de cabeça nesse abismo que chamamos de COVID 19, mas não é isso não...Sou da opinião que os estabelecimentos possam continuar funcionando desde que sejam observadas de forma rígida os protocolos de segurança propostos, como o distanciamento social, aferição de temperatura, utilização dos meios de assepsia e a máscara.

Não sendo observados esses quesitos, daí sim, pode fechar e até dar uma multa bem salgada, pois existem pessoas que só aprendem quando são fisgados pelo bolso.

Sei lá, posso até estar equivocado com meu pensamento, mas continuo acreditando que uns dependem dos outros e não é cabível decidir o que é essencial ou não, por exemplo, o motorista do Uber, depende do dinheiro do cara que trabalha na farmácia que precisa fazer a corrida pois não encontrou transporte público naquele horário. O cara da farmácia, depende do lojista para comprar um mouse que estragou justamente no sábado, e seu filho precisa dele para fazer suas tarefas das aulas remotas para entregar na segunda-feira e assim vai...

Que possamos ser mais empáticos e enxergarmos a real situação antes de classificar o que é essencial ou não.

A vida segue, as carruagens passam e os cães ladram!

C'est La Vie!

Coronel Amarildo

Foto de família: ao centro, Coronel Amarildo, sua espoca Christiane, filhas Bruna e Camila e genros Carlos Eduardo e Vinícius.No último dia 16, Coronel Amarildo de Assis Alves ingressa na reserva remunerada após 37 anos e 9 meses servindo a Corporação da Polícia Militar de SC. Coronel Amarildo estava há três anos como Comandante da Regional, sendo ele o responsável pela gestão do 14º Batalhão da Polícia Militar aqui em Jaraguá e do 23º BPM.

Na manhã da última terça-feira (16) ele passou o comando da 12º região de Polícia Militar (RPM), para o tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer.

Nossa comunidade muito tem que agradecer ao Coronel por todo o seu legado, que possamos continuar sermos reconhecidos como "a cidade mais segura do Brasil".

Quero desejar ao Coronel Amarildo, esse grande amigo por quem tenho o maior carinho, respeito e admiração, por conta da amizade formada com ele e sua esposa Christiane, no período que fui Professor das suas filhas (Bruna e Camila) no instituto Educacional Jangada.

Ao Coronel Amarildo, muito sucesso e que seu caminho continue sendo repleto de conquistas e vitórias.

Obrigado por tudo!

Amoração

Lembrando que o bazar Amoração, promovido pela Associação dos Voluntários do Hospital São José, acontece ainda nesse final de semana, nos dias 19 e 20.

Lá você pode adquirir roupas, acessórios calçados, tudo por um precinho pra lá de especial e de quebra ainda, auxiliar a associação dos voluntários que prestam um maravilhoso trabalho dentro do nosso Hospital.

Vale a pena lembrar que para o acesso ao bazar, devem ser obedecidos todos os protocolos de segurança, como o uso de máscaras, distanciamento e o álcool em gel.

Fica o toque para que o bazar mudou de endereço, agora funciona na Rua Padre Pedro Francken, 250, na Rua do Terminal Rodoviário, próximo ao Restaurante Madalena.

No Pirata

Mais uma final de semana de lockdown aqui no estado e consequentemente, o Pirata obedecendo as determinações advindas do decreto não abrirá suas portas nesse final de semana. Com certeza, temos muito que nos cuidar pois a situação não está nada fácil.

Precisamos aguentar firmes mais um pouco para que possamos em breve estarmos nos reunindo novamente, com muita alegria, boa música e aquela cervejinha sempre gelada que é praxe da casa.

Vamos embora que a litorina não espera.
Até semana que vem!