Estamos nos aproximando da reta final de 2021. Esse ano não foi fácil para o investidor, em especial pela alta da taxa de inflação, que vem se perpetuando no Brasil por muitos anos, ampliando os problemas de distribuição de renda no país e contribuindo para a queda do PIB. Atrelada a isso, a dívida pública externa cresceu, fator que impacta a entrada de investimentos.

Além disso, o custo-país, que é um conjunto de problemas estruturais, burocráticos, financeiros e políticos que encarecem o investimento no Brasil, também afeta o crescimento da economia. Tudo isso gera incerteza tanto no setor produtivo quanto no mercado financeiro.

Mas nem tudo está perdido! Neste artigo, trago algumas dicas que irão ajudar você no seu planejamento financeiro, de modo a se proteger de futuras crises e ajudando a construir melhor o caminho rumo à conquista dos seus objetivos em 2022.

Antes de chegarmos às dicas, cabe ressaltar: planejamento financeiro é um conceito básico, que envolve a capacidade de organizar o seu dinheiro, antecipar situações que possam comprometer suas finanças e desenvolver estratégias para atingir metas.

1. Defina sua realidade financeira. Um planejamento bem feito deve ser capaz de mostrar claramente a situação atual em que suas finanças se encontram. Ele deve ser capaz de responder a perguntas como: “Estou endividado?”, “Quanto ganho e gasto?”, “Quanto preciso para construir a reserva de emergência?”.

2. Viva de acordo com sua condição. Muitas vezes somos influenciados por anúncios e acabamos gastando mais do que o necessário. Sabendo quanto você ganha, você consegue definir o quanto pode gastar.

3. Crie uma reserva de emergência para imprevistos e surpresas que a vida reserva. Para a reserva, o ideal é que você poupe 20% do seu salário até acumular uma quantia equivalente à soma do seu custo de vida por 6 a 12 meses.

4. O planejamento deve englobar um plano de investimentos. Nele, você deverá determinar quanto da sua renda deseja aplicar e quais aplicações fazem sentido com o seu perfil de risco e os seus objetivos.

5. Seus objetivos devem ter metas e estratégias bem definidas, pensadas a curto (até 1 ano), médio (1 a 5 anos) e longo prazo (mais de 5 anos).

6. Fique de olho na sua situação financeira e monitore regularmente suas metas, aumentando ou diminuindo os valores dedicados a elas conforme sua situação. Um bom planejamento financeiro precisa ser um instrumento de fácil adaptação e deve ser periodicamente atualizado para que represente de forma fiel a sua situação.

7. Torne o planejamento um hábito familiar. Uma das melhores consequências de assumir o controle da sua vida financeira é proteger sua família de riscos indesejados. É importante que todas as pessoas da casa estejam em sintonia com os objetivos traçados.

O planejamento financeiro é essencial para conseguirmos trazer mais clareza para alcançarmos aqueles objetivos tão sonhados. Seguindo essas dicas, seu 2022 será um sucesso!

Tiago Alves, CEA, Consultor de Investimentos. E-mail: tiago.alves@warren.com.br.