Você se sente parte de seu local de vivência? O quanto você se sente pertencente ao seu grupo familiar? E a seu grupo social?

Os seus sucessos pessoais e profissionais estão em sintonia com seus desejos e expectativas? Onde é seu lugar no mundo contemporâneo?

Estas são algumas das várias questões existenciais que estão na ordem do dia da humanidade já faz algum tempo, mas que, em tempo de sociedade da informação, tem assumido uma proporção, muitas vezes, negativa na contemporaneidade.

Nunca se teve acesso a tanta informação em tão curto espaço de tempo. A validade do que se é aprendido, cada vez mais, expira com maior velocidade.

O público e o privado estão em processo de transformação e delimitação de novas fronteiras, nem sempre tão claras para todos. O passado e o presente se chocam como ‘tese’ e ‘antítese’, não conseguindo formar uma ‘síntese’.

A armadilha presente nesses questionamentos está em se formular convicções e verdades na mesma velocidade das demandas, com uma crítica restrita e superficial, dando uma conotação negativa para o processo natural de organização e evolução social. Assim, podemos propor novas questões:

  • O mundo de antigamente era melhor?
  • As relações interpessoais foram, em algum momento da história, satisfatórias para todos os membros envolvidos?
  • A equação expectativa-realidade é mais desigual hoje do que já foi em outros tempos?

O sociólogo Zygmunt Balmann, falecido em 2017, aos 91 anos, utilizou o conceito de ‘Modernidade Líquida’ para se referir às transformações do mundo moderno nos últimos tempos.

Ele escolheu o termo ‘líquido’ como metáfora para ilustrar o estado dessas mudanças facilmente adaptáveis, fáceis de serem moldadas e capazes de manter suas propriedades originais, percebido nas formas de vida contemporânea, tão fluidas e vulneráveis, incapazes de manter a mesma identidade por muito tempo.

A psicologia, enquanto disciplina científica, propõe-se a investigar os diversos modos de viver no mundo, os diversos modos de se relacionar no mundo, os diversos modos de ver o mundo.

Enquanto profissão, a psicologia procura mediar as interações entre o público e o privado, entre o que é subjetivo e o que é intersubjetivo, entre o individual e o relacional.

O psicólogo é o profissional que tem como competência e compromisso ético a atuação diante de questões como pertencimento, projeto de vida, relacionamento interpessoal, orientação profissional, além de enfrentamento de situações da vida cotidiana, como doenças, processos de luto, etc.

Neste ano de 2019, teve início o Curso de Psicologia da UniSociesc Jaraguá do Sul, que está organizado no sentido de promover, de forma crítica e baseado em competências, a formação de profissionais comprometidos com a ética e socialmente com as condições do mundo contemporâneo, ao mesmo tempo reconhecendo a sociedade como produto histórico e cultural.

O curso tem duração de cinco anos e aulas no período noturno, com ênfase nas áreas Clínica/Saúde, Educacional e Organizacional. Venha conversar conosco e conhecer um pouco mais do nosso curso!

Prof. Dr. Jeovane G. Faria - Coordenador do Curso de Psicologia da UniSociesc Jaraguá do Sul. Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (2002), Doutorado e Mestrado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente é psicólogo da Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul - SC, responsável pelo setor de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde. Também atua como Professor e Coordenador do Curso de Psicologia na UNISSOCIESC em Jaraguá do Sul. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Saúde Pública, Saúde Mental e Política Públicas sobre Álcool e/ou Outras Drogas. Participa do Grupo de Pesquisa do CNPQ;Clínica da Atenção Psicossocial e Uso de Álcool e outras Drogas, coordenado pelo PSICLIN/UFSC.