Benefícios da integração da Medicina Tradicional Chinesa com a fisioterapia 

Benefícios da integração da Medicina Tradicional Chinesa com a fisioterapia  Benefícios da integração da Medicina Tradicional Chinesa com a fisioterapia 

Colunistas

Por: Rita Grubba

sábado, 12:00 - 03/02/2018

Rita Grubba

Hipócrates, pai da medicina ocidental, gostava de repetir enquanto cuidava de seus pacientes que “o homem é uma parte integral do cosmo e só a natureza pode tratar seus males”. Ele queria mostrar que as causas das doenças eram naturais e não punições divinas, como se acreditava até então, e lembrar que o equilíbrio e a saúde do corpo estão diretamente ligados ao ambiente em que vivemos. Essa mesma frase voltou a soar atual nos últimos anos, ao mesmo tempo em que ocorre uma popularização dos métodos alternativos à mesma medicina ocidental que Hipócrates fundou.

Não somos máquinas, somos organismos vivos, cheios de partes interdependentes.

Xiang Ping, reitor da Universidade de Medicina Tradicional Chinesa, em um discurso de formatura disse: “A medicina ocidental baseia-se em análises e radiografias, mas não aborda o todo orgânico.

Já a Medicina Tradicional Chinesa é eficaz na regulação de todo o corpo. Penso que a combinação das duas medicinas seria perfeita e muito benéfica para as pessoas.”

Com a combinação dessas duas medicinas, surge a Medicina Integrativa! Um método em que integramos os nossos conhecimentos de fisioterapia, aliados aos da Medicina Tradicional Chinesa: acupuntura, fitoterapia e tuiná, técnica de terapia manual chinesa. Os resultados são excelentes nos tratamentos de dores em geral, com efeito anti-inflamatório e analgésico, nas alergias e rinites, nas tensões, ansiedade, depressão e enxaqueca. Aliando os tratamentos com a medicina ocidental, sem interferir na conduta médica.

A profissão de acupunturista ainda não é regulamentada no Brasil, por pura briga de reserva de mercado, e desta forma qualquer pessoa pode praticar a técnica milenar.

É importante salientar que fisioterapeutas têm a especialidade em acupuntura reconhecida pelo seu Conselho Federal desde 1984. Assim como os médicos, em 1994, e outras profissões na área da saúde. Portanto muito cuidado ao escolher o profissional que vai lhe atender, é muito importante que ele tenha formação superior na área da saúde em um curso que reconheça a acupuntura como especialidade. Escolha pelo seu conhecimento e valor, jamais pelo preço.

 

×