"Disfonia"

Foto divulgação Foto divulgação

Colunistas

Por: Ricardo Godoy Bueno (CAJ)

terça-feira, 04:38 - 25/05/2021

Ricardo Godoy Bueno (CAJ)

O termo disfonia é utilizado para descrever qualquer distúrbio da voz, nomeadamente no que diz respeito à qualidade, altura tonal, volume ou flexibilidade da voz. Apesar de vulgarmente apelidada por rouquidão, a verdade é que esta alteração é apenas uma das que completam o quadro da disfonia. Tecnicamente, a rouquidão é a voz áspera ou rouca, mas a disfonia também contempla perda da intensidade ou alteração da frequência (mais aguda ou mais grave) que seria de esperar para o gênero ou idade”. Quanto à sua incidência, estima-se que a disfonia afete até 9% da população

Causas

As disfonias podem ser classificadas etiologicamente em duas categorias vastas: os tipos orgânico e funcional. As disfonias orgânicas são aquelas causadas por alterações estruturais (como lesões de massa, inflamação das cordas vocais e malformações da laringe), alterações neurológicas (como paralisia das cordas vocais, doença de Parkinson e esclerose lateral amiotrófica) ou outros aspetos não relacionados com o uso da voz, tais como refluxo gastroesofágico/laringofaríngeo.

Quando não existe nenhuma causa estrutural ou neurológica, estamos perante uma disfonia não orgânica, denominada de disfonia funcional. Neste caso, disfonia pode ser decorrente do uso inadequado/abusivo da voz, inadaptações vocais e alterações psicogênicas. Conforme a especialista “estatisticamente, o gênero feminino tem maior incidência de patologia funcional e psicogênica”.

Sintomas

Um quadro de disfonia pode incluir:

  • Esforço para emitir a voz;
  • Cansaço ao falar;
  • Dificuldade em manter a voz;
  • Rouquidão;
  • Variações na frequência habitual da voz;
  • Falta de volume e projeção;
  • Pouca resistência ao falar;
  • Perda da eficiência vocal.

Tratamento

O tratamento da disfonia depende da causa. Nos casos em que a rouquidão é funcional, esta é tratada com recurso à terapia da fala, na qual se aprende a utilizar a voz duma forma mais adequada às necessidades, causando um menor esforço e dano à laringe.

Em caso de infecção ou inflamação, o tratamento médico por vezes é suficiente, muitas vezes aliado ao repouso vocal durante a recuperação. No caso de lesões mais complexas, como nódulos, pólipos ou suspeitas de malignidade, é necessário recorrer à cirurgia. Contudo, em qualquer dos casos, as medidas de higiene vocal são fundamentais na prevenção e cura da disfonia.

Prevenção

São necessários alguns cuidados para manter uma voz saudável. Tome nota: Evitar o uso vocal intenso e prolongado: falar muito alto ou durante períodos prolongados principalmente em ambientes ruidosos; Evitar o esforço vocal (tossir, pigarrear, gritar ou sussurrar); Falar pausadamente e articular bem as palavras; Descansar a voz (fazer momentos de repouso vocal); Evitar usar a voz em contextos de infecção respiratória ou crises de alergia; Ter uma boa postura corporal ao falar ou cantar; Não fumar e evitar frequentar ambientes de fumo; Reduzir a ingestão de álcool, café, chá e bebidas com gás; Evitar ambientes com pó, cheiros intensos e ar condicionado;
Evitar mudanças bruscas de temperatura; Manter uma alimentação saudável e boa hidratação (beber 8-10 copos de água/dia); Ter um estilo de vida saudável (dormir bem e praticar desporto).

Nota

As informações e conselhos disponibilizados neste post não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico, Fonoaudiólogo e/ou Nutricionista.

Autor: Sofia Esteves dos Santos
Fontes: atlasdasaude.pt/artigos/disfonia-o-que-e-e-como-pode-ser-prevenida

Onde encontrar

O CAJ está localizado na Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, número 889, no bairro Centro em Jaraguá do Sul. Para mais informações você pode acessar as redes sociais da empresa Facebook ou Instagram ou entrar em contato pelos telefones:

Jaraguá do Sul: (47) 3372-2364 Whatsapp: (47) 99972-5395.

×
close