Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo/
São crianças como você/ O que você vai ser/
Quando você crescer?”
(Pais e filhos, Legião Urbana).

Estamos na era da informação. Ou da hiperinformação. Na palma da mão ou na tela do computador há mais enciclopédias do que Gutemberg um dia ousou sonhar. Crianças e jovens podem aprender quase tudo sobre qualquer coisa.

Informação não é conhecimento.

Esse volume de informações, porém, não se traduz necessária e automaticamente em conhecimento. Aquela que chamo de geração mimimi 140 caracteres é fruto, em parte, justamente desse excesso de informações, pois não foi talhada para a análise mais profunda, limitando-se, quando muito, à leitura do primeiro parágrafo de qualquer matéria.

Pior do que isso, muitas vezes replicam informações falsas ou descontextualizadas sem fazer a mínima reflexão, reforçando suas convicções distorcidas.

E não se pode esquecer que filhos são espelhos dos pais.

Competência cansa.

Ser competente é trabalhoso, árduo. Necessita estudo e dedicação. Obriga a fugir dos "achismos" e do modelo “maria-vai-com-as-outras”. É muito mais fácil pegar uma referência duvidosa no sabe-tudo-pai-de-todos Google.

Em suma, competência cansa, mas é necessária. Competência transforma conhecimento em resultados. Competência é inovação; resulta naquilo que você elogia.

Criatividade é vida.

Há anos em minhas aulas – mesmo nas matérias mais técnicas – e palestras falo que criatividade é um dos elementos essenciais para um bom profissional. Qualquer profissional. Somada ao conhecimento e à competência molda o excelente profissional, em todas as áreas.

A criatividade muda o mundo; é o que definitivamente transforma.

Mas só é criativo quem tem conhecimento. Criatividade produtiva se vê apenas em quem sabe o que faz.

Os filhos.

As crianças são criativas. Os adolescentes são. Os jovens um pouco menos. A perda da criatividade nata ao longo da vida – ou seu obscurecimento – é culpa dos adultos, que, por se sentirem ridículos, acabam realmente acreditando que é ridículo e incutem isso na cabeça de seus filhos.

A internet tornou mais acessível e democrática a informação, oportunidade que não pode ser limitada. Os filhos de hoje podem fazer muito mais do que os filhos das gerações anteriores justamente por conta da transformação digital. É a criatividade potencializada.

Então, pais, prestem mais atenção nos seus filhos. Deixem a criatividade deles aflorar e reaprendam a ser criativos. Eles têm muito a ensinar.