A empresa DuMeio, de Jaraguá do Sul, foi uma das contempladas no edital do programa Mulheres +Tec, publicado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e que teve os resultados divulgados na última semana.

O programa visa apoiar startups lideradas ou fundadas por mulheres – dos três sócios da empresa jaraguaense, duas são mulheres. Parte da sua estrutura está incubada no núcleo de inovação tecnológica JaraguaTec, integrante do Novale Hub – Centro de Inovação Jaraguá do Sul.

O fomento de R$ 60 mil destinado a cada empresa poderá ser usado para aquisição de equipamentos, materiais, serviços e consultoria. Além disso, as empresas terão acesso a capacitação realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do Estado.

A startup produz um biotecido com base na celulose bacteriana, que pode substituir o couro ou laminado sintético nos mais variados setores, desde o calçadista até o moveleiro. Hoje a empresa consegue produzir placas de 50x60 cm do material, mas de acordo com a Chief Marketing Officer (CMO) da DuMeio, Morgana Stegemann, parte desse valor será destinado para a ampliação da planta de produção das placas do tecido biodegradável, além de fortalecer a divulgação do produto para, enfim, lança-lo no mercado.

“Estar entre as contempladas desse edital é motivo de orgulho, mas também é prova do desafio que enfrentamos diariamente. Em editais comuns da Fapesc, apenas 25% das empresas que participam são lideradas por mulheres, mesmo que somos mais da metade do número total de empreendedores do Brasil”, destaca Morgana.

Ela é uma das sócias da iniciativa, juntamente com a irmã, Cristiane Stegemann (responsável pela pesquisa e desenvolvimento) e o cunhado (CEO), desde 2019.

Segundo o CEO da DuMeio Henrique de Souza Medeiros, desde o final de 2021 o tecido está sendo testado em empresas do setor calçadista e moveleiro, que pretendem lançar produtos com o material fabricado pela startup jaraguaense. “O nosso produto já está sendo reconhecido fora daqui, inclusive com uma das empresas parceiras o levando para o seu desfile na São Paulo Fashion Week, a principal atividade da moda no país”, afirma ele.

Lez a Lez

Reconhecida pela quarta vez consecutiva com o selo Excelência de Franchising, a Lez a Lez, marca feminina do Grupo Lunelli, foi consagrada com o prêmio Destaque Franchising Sustentabilidade, por meio do projeto “Uso de plástico para embalagem biodegradável e compostável”. A iniciativa consiste na substituição de todo o plástico comum das embalagens de produtos por plástico biodegradável e compostável, desenvolvido a partir de biomassa, com aplicação de agente acelerador da biodegradabilidade.

Doação

A WEG e o Senai de Jaraguá do Sul fizeram na última sexta-feira (13) a entrega de 286 computadores para o projeto Inclusão Digital da Fiesc. O ato da entrega ocorreu no Senai, com presença de Célio Bayer, Vice-presidente da Fiesc da região do Vale do Itapocu, Daren de Vargas Basso de Souza, Gerente Executiva do Sesi, Senai e IEL no Vale do Itapocu e Planalto Norte, Edson Ewald e Sabrina Adami Schappo, ambos representantes da área de Desenvolvimento Social da WEG

Expo Defense

Santa Catarina recebe nesta quinta e sexta-feira, dias 19 e 20 de maio, a 2ª edição da SC Expo Defense, feira de tecnologias e produtos de defesa. O evento é uma iniciativa da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), será realizado na Base Aérea de Florianópolis, e vai reunir empresários, representantes das Forças Armadas e de centros de pesquisa

Qualificação

O Brasil precisará qualificar 9,6 milhões de pessoas até 2025 para atender necessidades projetadas pelas indústrias, de forma a repor inativos, atualizar funcionários ou preencher as novas vagas programadas para o setor. É o que prevê o Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025, divulgado na segunda-feira (16) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

 

Queda

A produção física industrial catarinense registrou queda de 3,8% em março, em relação a fevereiro, na série livre de efeitos sazonais. Apesar da retração, o resultado acumulado nos últimos 12 meses continua positivo e superior à média nacional. Enquanto Santa Catarina registra uma expansão de 3,5%, o Brasil tem índice de 1,8%.

Desemprego

Boas notícias para Santa Catarina: o estado é o único com taxa de desemprego abaixo da média para os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estado contaria com um índice de desemprego de 4,5%, abaixo de 24 das 38 nações que integram a organização. ​ A taxa média de desemprego da OCDE é de 5,1% - mais baixa do que em fevereiro de 2020, antes do início da pandemia de Covid-19, quando o índice era de 5,3%.