O volume de serviços no país caiu 0,7% em março deste ano, na comparação com fevereiro. Esta é a terceira queda consecutiva do setor no ano, que acumula uma redução de 1,7% nos três primeiros meses.

Os dados foram divulgados na terça-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com março de 2018, a queda chegou a 2,3%. O setor acumula altas de 1,1% no primeiro trimestre (na comparação com o primeiro trimestre de 2018) e 0,6% no acumulado de 12 meses.

Dos cinco segmentos de serviços pesquisados, três tiveram queda, com destaque para os serviços de informação e comunicação (-1,7%). Outros recuos foram observados nos profissionais, administrativos e complementares (-0,1%) e nos outros serviços (-0,2%).

Esta queda não é um bom sinal - particularmente a queda nos serviços de informação e comunicação, indicador forte de que a capacidade do brasileiro em pagar por estes serviços tem diminuído.

Esta percepção é reforçada pelo aumento progressivo do endividamento, que afeta 62,6 milhões de brasileiros.

Na hora que é preciso cortar, a primeira coisa que tem ido, aparentemente, são serviços de informação e comunicação - inclusos aí assinaturas de jornais, revistas, serviços de streaming, TVs por assinatura, telefonia e internet - vários dos quais são essenciais na vida moderna.

BNDES registra lucro de R$ 11,1 bilhões

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro de R$ 11,1 bilhões no primeiro trimestre de 2019. O resultado representa um crescimento de 436,7% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando o lucro ficou em R$ 2,1 bilhões.

Também no trimestre o resultado do BNDES com participações societárias foi 725,5% superior ao atingido nos três primeiros meses de 2018.

Segundo o BNDES, um dos fatores que contribuíram para o resultado foi o desempenho positivo com participações societárias do Sistema BNDES (incluindo BNDESPAR) no primeiro trimestre de 2019, de R$ 12,5 bilhões. Esse valor refletiu o crescimento de R$ 9,3 bilhões (1081,0%) do resultado com alienações de investimentos, com destaque para a alienação de ações da Fibria, Petrobras, Vale e Rede.

Novale Hub lança MBI junto à Católica

Com apoio da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul e do Novale Hub Centro de Inovação, a Católica de Santa Catarina está oferecendo programa de MBI (Master in Business Intelligence) inédito na região do Vale do Itapocu.

O MBI voltado à inovação tem aulas aos sábados das 8h às 12h e das 13h às 17h. Conforme o professor Henrique Otte, coordenador do curso, o MBI também é um curso de especialização lato sensu, porém, o foco é atender aos profissionais nas suas necessidades de criação e na administração, ou de transformarem negócios inovadores.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?