Muito se fala da corrupção no setor público, mas pouco se discute o quanto este problema penetra todas as esferas do poder nacional - incluindo a iniciativa privada, muitas vezes força motriz por trás de esquemas de fraude e desvio de dinheiro.

O caso mais recente tem um certo grau de triste ironia - seus envolvidos foram parte chave de movimentos contra a corrupção, enquanto estavam envolvidos em um esquema milionário - e deve trazer impactos para a imagem do país no exterior.

Eis o caso: o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, foi preso pela Polícia Federal, nesta terça-feira (19). A prisão foi resultado da Operação Fantoche, que investiga um esquema de corrupção envolvendo contratos com o Ministério do Turismo e entidades do Sistema S.

Andrade está na presidência da CNI desde 2010, e encerra seu mandato atual em 2022. O empresário é o principal representante institucional da indústria brasileira.

Em sua defesa, a entidade afirma em nota que "não teve acesso à investigação e acredita que tudo será devidamente esclarecido".

A investigação aponta que um grupo de empresas, todas sob o controle da mesma família, vem executando contratos, desde 2002, por meio de convênios com o ministério e com as entidades. O grupo já teria recebido mais de R$ 400 milhões.

Agora é esperar para ver as consequências desta investigação - se vai terminar em pizza ou não, e como isso vai afetar o país como um todo - mas uma coisa é inegável: o caso é grave e mancha a imagem do país mais do que já está manchada.

Esclarecendo o IPTU

Segundo o ex-secretário da Fazenda de Jaraguá do Sul, o valor do lançamento tributário de R$ 50,2 no ano de 2018, era líquido das isenções renovadas automaticamente naquele ano.

No ano de 2019, não foi renovado automaticamente a isenção para imóveis de pessoas físicas utilizadas para exploração extrativa vegetal, agrícola, pecuária, aquicultura, ou para depósito de colheita, de animais e equipamentos.

Este ano todos que se enquadram nessa possibilidade de isenção precisam protocolar o pedido. Sem as isenções, o lançamento do crédito tributário total de 2018 foi de R$ 58 milhões.

Abono Salarial

Começa nesta quinta-feira (21) o pagamento do oitavo lote do Abono Salarial ano-base 2017.

Podem receber o benefício os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em março e abril e os servidores públicos com finais de inscrição 6 e 7.

A estimativa da Secretaria de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia é que R$ 2,9 bilhões sejam pagos a 3,6 milhões de beneficiários.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?