A revista Exame divulgou na última quinta-feira (11) o ranking dos 100 maiores líderes empresariais do Brasil, e entre os nomes da lista, está o presidente da WEG, Harry Schmelzer Jr.

Além dele, estão os presidentes de outras quatro empresas catarinenses. São estes Raúl Padilla, da Bunge, de Gaspar; Fábio Hering, da Cia. Hering, de Blumenau; Otto von Sothen, da Tigre, de Joinville e Lorival Luz, da BRF, de Itajaí.

A lista é encabeçada pela presidente do Conselho de Administração da Magazine Luíza, Luiza Helena Trajano.

Além de Luiza Helena, estão entre os 10 mais votados, na ordem, Jorge Gerdau, Fábio Coelho, Roberto Setúbal, Arthur Grynbaum, Jorge Paulo Lemann, Frederico Trajano, Abilio Diniz, João Paulo Ferreira e Alexandre Costa.

A composição da lista conta com cinco etapas de avaliação com diferentes grupos (fontes de informação).

São incluídos apenas líderes de empresas com faturamento superior a US$ 40 milhões (R$ 221 milhões) e avaliadas 18 variáveis, como resultados econômicos, financeiros, atuação comercial da empresa, talento, ética, responsabilidade corporativa, atuação internacional e inovação.

Os líderes catarinenses estão à frente de indústrias com forte presença nos mercados do Brasil e atuação internacional, marcas fortes e reconhecidas pelos consumidores.

A BRF, WEG e Hering são empresas presentes também na bolsa brasileira, a B3.

Governo estuda benefícios

Para incentivar empresas a ajudarem trabalhadores demitidos a se recolocarem no mercado de trabalho ainda durante o período do aviso prévio, o governo estuda um programa de redução na multa do FGTS cobrada sobre o empregador.

As informações são da revista Época. O período do aviso prévio pode durar de 30 a 90 dias, de acordo com os anos de serviço na mesma empresa.

Imposto de Renda

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na última sexta-feira, 12, que o governo deve anunciar uma medida que vai permitir cobrar no Imposto de Renda uma taxa pela valorização dos imóveis declarados.

As informações são da Época Negócios.

O ministro defendeu que é melhor atualizar os preços dos imóveis regularmente e pagar "extraordinariamente" cerca de 3% a 4% do valor do que pagar 15% de Imposto de Renda sobre Ganho de Capital apenas quando for feita a venda do bem, cobrada no momento da venda.

Medicamentos

Medicamentos e materiais de saúde continuarão a pagar menos Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo arrecadado pelos estados.

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou a prorrogação de 228 incentivos fiscais do ICMS que venceriam no fim do mês.

Se os benefícios não fossem estendidos, uma série de itens teria aumento expressivo de preços a partir de abril.

Pagamento de impostos

A partir desta segunda-feira (15), o cidadão poderá pagar taxas federais, contribuições e serviços públicos não gratuitos com cartão de crédito.

A modalidade de pagamento estará disponível no PagTesouro, plataforma digital de pagamento e recolhimento do Tesouro Nacional.

Em nota, o Tesouro Nacional explicou que a tecnologia alcança um público sem produtos digitais adequados à demanda.

Adiado, novamente

O Banco Central (BC) adiou novamente a implementação do Pix Cobrança, ferramenta que permitirá cobranças com vencimento em datas futuras.

Inicialmente prevista para começar em janeiro, a nova funcionalidade do Pix entraria em operação nesta segunda-feira (15), mas agora só começará a funcionar em 14 de maio.

A instrução normativa, com a nova data, foi publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.

O BC não informou o motivo do adiamento. Mas, de acordo com a instrução normativa, os participantes do Pix que já ofertam o Pix Cobrança agora terão até 30 de abril para concluir as etapas de validação de QR Codes.