Centenas de economistas e banqueiros renomados divulgaram uma carta aberta no último domingo, (21) em que exigem dos governantes brasileiros medidas efetivas contra o avanço do coronavírus no país.

O documento já possui mais de 500 assinaturas. As informações são da emissora alemã Deutsche Welle.

Entre os nomes que referendam a carta estão os ex-ministros da Fazenda Pedro Malan, Maílson da Nóbrega, Marcílio Marques Moreira e Ruben Ricupero, e os ex-presidentes do Banco Central Armínio Fraga, Affonso Celso Pastore, Gustavo Loyola, Ilan Goldfajn e Pérsio Arida.

Para o presidente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), Luís Huffenüssler Leigue, a carta revela um ressentimento quanto à falta de medidas.

"O que a sociedade brasileira, podemos dizer de maneira geral, mais se ressente, é de um plano abrangente para o País quando se pensa no enfrentamento desta grave crise sanitária e seus impactos em todas as áreas, dentre elas a econômica", acredita.

Para ele, no entanto, há um excesso de polarização que tem comprometido os sistemas de saúde.

"O que se percebe é a falta de uma coordenação ampla no enfrentamento da pandemia, o que gerou ineficiência na gestão da crise, ou do que poderíamos estar fazendo tanto no plano sanitário como no econômico", avalia.

"Há casos isolados de excelência e de mitigação de efeitos maiores, como é o caso de Jaraguá do Sul, onde ainda dispomos de uma estrutura de saúde bem administrada, muito por méritos da nossa comunidade e sua capacidade de mobilização e senso de organização. Mas percebemos que há situações diferentes em outras regiões onde o quadro é caótico. Se considerarmos as dimensões do Brasil, esse efeito sem dúvida é exponencialmente pior", complementa.

"Estamos perdendo tempo com discussões polêmicas, fora do foco central que é o enfrentamento da pandemia, e com isso deixando de tomar medidas práticas, em todos os níveis, sem querer personalizar um ou outro, mas analisando o país como um todo", afirma Leigue.

Carrefour compra BIG

O Grupo Carrefour Brasil anunciou nesta quarta-feira (24) que fechou acordo para comprar a totalidade das ações do Grupo Big Brasil (ex-Wamart Brasil) por R$ 7,5 bilhões.

As informações são do portal G1.

O Grupo Big pertence desde 2018 à sociedade formada entre a empresa de investimentos Advent International e o Walmart.

Em comunicado, a rede de origem francesa disse que a aquisição do Grupo BIG "expandirá a presença do Carrefour Brasil em regiões onde tem penetração limitada, como o Nordeste e Sul do país, e que oferecem forte potencial de crescimento".

Donini

O empresário Vicente Donini, presidente do conselho da Marisol, uma das maiores indústrias têxteis do país, será agraciado com a Ordem do Mérito Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a mais importante da indústria brasileira.

A indicação foi feita pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e o nome foi aprovado nesta terça-feira (23).