Os avanços da tecnologia tem causado impactos cada vez maiores no mercado de trabalho, em meio a mudanças de processo, automação, indústria 4.0 e uma velocidade cada vez maior no fluxo de informações.

Se por um lado estes avanços tem aumentado a produtividade e facilitado a comunicação, ao mesmo tempo eles tem deixado para trás parte do mercado de trabalho, que se torna obsoleto ante à nova indústria.

Pensando em como superar os desafios do trabalho antes que eles se tornem insuperáveis, o Ministério do Trabalho recebe até o dia 18 de novembro sugestões sobre os desafios do trabalho em um mercado cada vez mais impactado pela tecnologia.

Segundo um estudo do Fórum Econômico Mundial, 7 milhões de postos de trabalho devem se tornar obsoletos até 2021, devido à indústria 4.0. Outros 1,4 milhão de empregos serão gerados em novos campos de trabalho, um quinto dos postos perdidos.

As sugestões da sociedade, de empresas e de entidades sociais devem ser enviadas para o e-mail futurodotrabalho@mte.gov.br, criado exclusivamente para as manifestações sobre o tema.

É importante levar em conta que, embora criem novos postos de trabalho, estes avanços exigem mão de obra qualificada e especializada - e portanto, não resolvem de imediato a questão da mão de obra tornada obsoleta: é preciso pensar em meios de remanejar o trabalhador que se vê substituído pela tecnologia, antes que ele se torne um cidadão improdutivo.

As propostas recebidas e aprovadas se juntarão às contribuições reunidas em audiências públicas e serão consolidadas em um documento pelo Comitê de Estudos Avançados Sobre o Futuro do Trabalho a ser apresentado ao Conselho Nacional do Trabalho (CNT) no dia 23 de novembro.

O objetivo do Ministério é reunir as sugestões de como lidar com novas profissões, a qualificação e a requalificação do trabalhador para se adaptar aos avanços da tecnologia e inovação nas empresas.

Pensar em como lidar com estas questões é de suma importância para todas as partes envolvidas - empregadores, criadores de tecnologia, sociedade civil e estado. Ignorá-las pode nos deixar com uma bola de neve incontrolável.

Como se inserir na indústria 4.0?

A indústria 4.0, como é conhecida a integração do mundo físico e virtual por meio de tecnologias digitais, vai mudar a forma de produzir, gerar novos negócios e transformar o mercado de trabalho. O uso de recursos como internet das coisas, big data e inteligência artificial também pode aumentar a produtividade das empresas.

A fim de ajudar pequenos e médios empresários a tirar proveito da quarta revolução industrial, o Senai realiza em todos os Estados, nesta quarta-feira (12), o evento Desvendar 4.0. Em Santa Catarina, o encontro ocorre no Senai em Jaraguá do Sul, a partir das 18h30.

As inscrições são gratuitas e limitadas. Informações pelo telefone (47) 3372-9500.

Jaraguá do Sul Park Shopping realiza Fashion Day

A moda influencia a todos, ajudando a imprimir a personalidade e a fortalecer a individualidade. Por isso, as tendências que surgem a cada nova temporada são tão interessantes e acabam envolvendo e aguçando a curiosidade de todo mundo. E, para apresenta-las ao público, o Jaraguá do Sul Park Shopping vai realizar, nesta semana, o Fashion Day.

O evento acontece na próxima quinta-feira (13), a partir das 19h, e lança as novidades e tendências do Verão 2019 das principais marcas instaladas no empreendimento.

Os desfiles, divididos em infantil e adulto, serão guiados pelo modelo plus size Otavio Janecke e pela consultora de imagem e estilo Thayse Deretti.

Na passarela, ainda estarão nomes conhecidos da região, como a blogueira Karin Petermann, a mãe fit Dani Cozzarin e o mister Jaraguá Marcelo Souza.

Futuro do trabalho

Estão definidos os membros do Comitê de Estudos Avançados sobre o Futuro do Trabalho. Concebido pelo Ministério do Trabalho, o grupo será instalado oficialmente no dia 18 de setembro, às 15 horas, na sede da pasta, em Brasília, em cerimônia com a participação do ministro Caio Vieira de Mello.

O comitê é  formado por representantes do governo, do Judiciário, do meio acadêmico, de entidades de classe e sindicais (de empregados e empregadores) e tem como principal missão discutir e propor formas de proteção ao emprego diante do avanço da automação.

Gasolina em alta histórica

Em meio a uma sequência de altas - o preço nas refinarias cresceu 1,77% no mês -, a gasolina tem operado em uma alta histórica para um momento de normalidade: segundo a Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis (ANP), a gasolina chegou a um preço médio de R$ 4,52 nas bombas nesta terça-feira.

Em Jaraguá do Sul, com média abaixo da nacional, o preço chegava à R$ 4,40. Na última quinta-feira (6), a Petrobras anunciou a implantação de um mecanismo para evitar o repasse de volatilidades externas, como câmbio e desastres naturais, ao consumidor.

Quer receber as notícias no WhatsApp?