A criptomoeda Bitcoin foi uma das grandes sensações de 2017,  operando no ano com alta incomensurável - abrindo o ano a US$ 900, a moeda chegou perto da linha dos US$ 20 mil em dezembro passado, antes de perder mais da metade do seu valor no começo do ano.

Desde então, o sonho do mercado especulativo online tem operado em ciclos de queda intensa e leve recuperação - e o começo do mês, tem operado em queda proporcional à vista no começo do ano.

Abrindo novembro a US$ 6.341, menos de um terço do pico histórico, a moeda entrou em queda vertiginosa, perdendo mais de um quarto do seu valor desde que entrou em colapso no dia 12 - nesta quinta-feira, estava cotada na faixa US$ 4.500, com uma leve recuperação em comparação com a quarta, a US$ 4,339, segundo site Coindesk.

Fica de alerta para quem, depois de ver a explosão de valor da moeda no ano passado, achou que a febre seria eterna. Fica a pergunta se este colapso - provocado em parte por especulação de uma nova ruptura no blockchain da moeda - é definitivo ou não.

Um reflexo inusitado da implosão se vê em outro mercado: placas de vídeo, cujo mercado estava supervalorizado com a compra em massa das GPUs para "minerar" criptomoedas, entraram em queda junto com a cripto, com queda de 40% nos preços dos componentes desde o começo do ano.

Conhecimento científico

Foto: Divulgação

Despertar o interesse das pessoas pelos fenômenos do universo ou pelas áreas das ciências, de maneira geral, nem sempre é tarefa fácil. Para ajudar nesse processo, a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) criou o Sesi Ciências.

No próximo sábado, dia 24, Jaraguá do Sul recebe uma unidade móvel da iniciativa que proporciona, gratuitamente, o contato com experiências científicas.

Durante a ação desta semana, estudantes e a comunidade em geral serão desafiados a desenvolver experimentos e colocar em prática o que aprenderam em curso oferecido pelo SESI em instituições de ensino do estado.

Que tal "Black Saturday"?

A Black Friday já é uma das principais datas do calendário varejista brasileiro e em Jaraguá do Sul, receberá ações especiais.

Para incentivar os consumidores a aproveitar os descontos oferecidos pelas lojas, o Núcleo de Lojistas do Centro, vinculado à CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), promove mais um sábado estendido com estabelecimentos da área central abertos até 17h.

Além disso, o eixo do Calçadão estará fechado para veículos e as lojas do Centro contarão com ofertas de Black Friday no intuito de envolver os clientes no clima da data. O Jaraguá do Sul Park Shopping também está em clima de Black Friday.

Entre os dias 23 e 25, o empreendimento oferece descontos exclusivos, além de ações diversas preparadas pelos lojistas.

Outra novidade é que, nesta sexta-feira (23), o shopping ficará aberto por mais tempo, facilitando, assim, o acesso aos visitantes. O horário de atendimento será das 8h às 23h.

No ano passado, as promoções foram aproveitadas por mais de 70 mil pessoas.

Transporte marítimo para otimizar logística

A cabotagem, que é a navegação entre portos marítimos de um mesmo país, é uma alternativa competitiva para o setor industrial que precisa escoar sua produção e reduzir o custo logístico.

Por isso, empresas operadoras desses serviços participaram nesta quarta-feira (21) de reunião promovida pela Câmara de Assuntos de Transporte e Logística realizada na Fiesc, em Florianópolis, com empresas interessadas em ampliar o uso do transporte marítimo para escoar a produção.

"Precisamos discutir ações e demandas para aumentar a participação desse modal em Santa Catarina, fazer com que a cabotagem seja ampliada. Ela estará na nossa agenda de prioridades de transporte e logística, que vamos lançar no dia 12 de dezembro”, adiantou o presidente da entidade, Mario Cezar de Aguiar.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?