Em fevereiro, a indústria catarinense criou 14.106 vagas de emprego. O resultado foi o quarto melhor do país, atrás apenas de São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

A indústria foi a segunda principal responsável pela geração de postos de trabalho no estado. No mês, o mercado de trabalho catarinense abriu 33.994 vagas.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram analisados pelo Observatório Fiesc, nesta terça-feira, (30).

Dos 18 setores analisados pelo Caged, apenas o segmento de fármacos e equipamentos de saúde registrou fechamento de 23 vagas.

O destaque de fevereiro foi têxtil, confecção, couro e calçados, que ficou com saldo positivo de 5 mil vagas.

Em segundo lugar ficou a construção (2.389 vagas), seguido de madeira e móveis (1.550), alimentos e bebidas (1.416 vagas), metalmecânica e metalurgia (1.323) e produtos químicos e plásticos (1.000 vagas).

Multa para desigualdade salarial

O Senado aprovou nesta terça-feira (30) um projeto que pune com multa as empresas que remunerarem mulheres com um salário inferior a homens que exerçam a mesma função.

A multa proposta é de cinco vezes a diferença salarial constatada, a ser paga à funcionária lesada.

O projeto segue à sanção presidencial. O projeto altera a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

De acordo com o texto aprovado, haverá um prazo prescricional de cinco anos, ou seja, o cálculo da multa só poderá atingir os salários pagos até cinco anos antes. O valor da multa, no entanto, é passível de revisão pelo juiz.

O projeto estava no Congresso há dez anos e chegou a ser arquivado no Senado. Foi desarquivado em 2019 e teve Paulo Paim (PT-RS) como relator.

Ao longo dos anos, passou pelas comissões de Assuntos Sociais e de Direitos Humanos.

Em seu relatório, Paim afirma, com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que, na média, as mulheres receberam 77,7% da remuneração dos homens.

“Temos consciência de que a discrepância salarial de gênero tem profundas raízes sociais e culturais e que a mudança legislativa é incapaz, individualmente considerada, de eliminá-la. No entanto, nessa luta da mais elevada justiça, qualquer contribuição positiva é válida”, disse Paim em seu parecer.

Mais limite no consignado

O presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que amplia de 35% para 40% margem de empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O texto foi publicado nesta quarta-feira (31) no Diário Oficial da União .

De acordo com a lei, 5% dos recursos consignáveis devem ser destinados exclusivamente para saque ou amortização de despesas do cartão de crédito, um percentual já previsto.

A medida vale para operações contratadas até 31 de dezembro de 2021. Após esse prazo, as dívidas de consignado voltarão ao patamar anterior, de até 35% do salário.

Declaração prorrogada

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31) a prorrogação do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda de 2021.

O Projeto de Lei (PL) 639/21 prevê que a entrega deva ocorrer até o dia 31 de julho deste ano.

O prazo atual, divulgado pela Receita Federal, vai até 30 de abril. A proposta segue agora para análise do Senado.

De acordo com o texto aprovado, um substitutivo do relator, deputado Marcos Aurélio Sampaio (MDB-PI), o cronograma de restituições não mudará, com o primeiro lote sendo pago em 31 de maio.

O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.

Pagamentos pelo WhatsApp

Horas depois de o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciar que o órgão liberaria transações pelo WhatsApp, o BC autorizou oficialmente as transferências bancárias pelo aplicativo.

A decisão foi anunciada na noite desta terça-feira (30) pela autoridade monetária.

A empresa Facebook Pagamentos do Brasil, dona do WhatsApp, foi aprovada como “iniciador de transações”.