Os gastos do governo federal no combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus somaram R$ 50,78 bilhões até a última sexta-feira (17). O montante equivale a 22,3% dos R$ 226,79 bilhões de créditos extraordinários aprovados para o enfrentamento à covid-19.

Os números constam da ferramenta Monitoramento dos Gastos da União com Combate à Covid-19, lançada pelo Tesouro Nacional. O site será atualizado diariamente com informações sobre as despesas pagas até o dia anterior.

A nova ferramenta permitirá o acompanhamento das despesas previstas nos programas anunciados para enfrentar a pandemia.

Além do valor global dos gastos, o cidadão poderá verificar os desembolsos em cada programa, comparando com a verba reservada pelo crédito extraordinário.

Até agora, os maiores valores foram destinados ao pagamento do auxílio emergencial, que consumiu R$ 27,04 bilhões do orçamento programado de R$ 98,2 bilhões.

Em segundo lugar, vem a complementação do Tesouro Nacional para a linha de crédito que financiará o pagamento de salários a pequenas e médias empresas, no total de R$ 17 bilhões de um crédito extraordinário de R$ 34 bilhões.

US$ 80 bilhões

O governo do Japão está aumentando o valor do seu anteprojeto orçamentário extraordinário em mais de US$ 80 bilhões de modo a financiar a concessão de auxílio em dinheiro para aliviar o impacto econômico do coronavírus.

O Executivo japonês vai apresentar ao Parlamento o anteprojeto orçamentário suplementar em total superior a US$ 230 bilhões correspondentes ao ano fiscal iniciado este mês para cobrir um pacote econômico de emergência equivalente a US$ 1,1 trilhão de dólares.

OMS reforça vacinação

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) ressaltaram nesta segunda-feira (20) a importância de os países manterem os seus planos de vacinação para evitar um maior impacto da pandemia da Covid-19.

Em comunicado, as duas organizações reiteraram que é vital a manutenção dos serviços de imunização de rotina durante a pandemia, recordando que a situação atual "é um sinal de que as doenças infecciosas não conhecem fronteiras".

Perícia médica

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) criou um serviço para que os segurados façam acertos na marcação de perícia médica.

A medida tem por objetivo garantir o atendimento aos segurados.

Nesse sentido, o INSS publicou portaria no Diário Oficial da União desta segunda-feira (20), que trata do assunto.

Cotação do petróleo

A cotação do petróleo despencou no pregão asiático, durante o período da tarde em horário local. (período da manhã segundo o horário de Brasília), à medida que a pandemia de coronavírus amplia incertezas quanto à demanda futura pela commodity.

As informaçõs são do portal Money Time. O petróleo dos Estados Unidos, West Texas Intermediate (WTI), cedia 22% para US$ 14,22 o barril.

Já o petróleo Brent, negociado em Londres, caía 4,31% ou US$ 1,22. O barril era negociado a US$ 27 por volta das 07h20 (horário de Brasília).

PIB

As previsões do mercado financeiro para o PIB de 2020 seguem em queda, segundo o Boletim Focus, do Banco Central: a nova previsão dos economistas consultados é de queda de 2,96%.

No relatório anterior, que foi produzido com base em consultas feitas na semana retrasada, a expectativa dos analistas era de queda de 1,96%.

Nubank

O Nubank reduziu os juros de seus clientes que não tem pendências no rotativo do cartão de crédito, através do parcelamento das faturas em até 12 vezes. O parcelamento terá juro de 1,9% ao mês.

O prazo para pagamento também pode ser prorrogado em 60 dias, para quem não optar pelo parcelamento. Durante este período, não vão ocorrer mudanças na taxa de juros, nem será cobrado multa e IOF.

Os pedidos de renegociação e parcelamento de fatura podem ser realizados pelo aplicativo do banco.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul