Mesmo com o impacto da pandemia da Covid-19 na economia, Santa Catarina segue firme com o perfil mais empreendedor do Brasil.

Os números apresentados pela Junta Comercial (Jucesc), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) comprovam a vocação empreendedora do Estado.

Em 2020, o saldo de abertura foi de 115.074 novos empreendimentos, resultado 19% maior em relação ao mesmo período de 2019, que apresentou um saldo de 96.509 empresas.

"Santa Catarina já tem o DNA empreendedor, e é função do Estado incentivar e desenvolver ainda mais essa característica. Com o processo de modernização e simplificação da Jucesc, conseguimos gerar mais oportunidades e reduzir a burocracia para o catarinense", afirmou o governador Carlos Moisés.

Ao analisar o saldo acumulado nos anos de 2019 e 2020, na abertura de empresas, Santa Catarina apresentou um crescimento de 177,3% em relação a 2018. Atualmente, o Estado catarinense conta com 956.973 empresas ativas.

Quando se trata do período só da pandemia, Santa Catarina também apresentou resultados relevantes em relação aos anos anteriores, na abertura de empresas.

Em 2019, do dia 17 de março a 31 de dezembro, o Estado teve um total de 119.664 constituições. Já no ano de 2020, no mesmo período, o número chegou a 130.216 novos empreendimentos.

A quantidade de baixas também diminuiu em 2020 no período da Covid-19: de 40.582 para um total de 38.707 empresas fechadas, entre 17 de março a 31 de dezembro.

Com estes números, só no período da pandemia, Santa Catarina registrou um saldo de 91.509 novas empresas.

Gás natural

Nos próximos cinco anos, a SCGÁS pretende investir mais de R$ 18,2 milhões e ligar cerca de 20 mil clientes para ampliar ainda mais o abastecimento do energético e atender novos clientes em mercados em que a rede já está presente.

Balneário Camboriú é a cidade que mais receberá investimentos para a saturação do mercado urbano, com R$ 6,8 milhões previstos até 2025.

Em 2021, serão investidos cerca de R$ 5 milhões para saturação nas cidades de São José, Itapema e Balneário.

Até 2025, o projeto urbano contempla ainda investimentos em Joinville, Blumenau, Florianópolis e Pomerode, um novo município atendido.

Mais crédito para os pequenos

Apesar das dificuldades enfrentadas nos últimos meses pelos donos de pequenos negócios, o ano de 2020 foi marcado pela expansão do crédito bancário para as micro e pequenas empresas brasileiras.

É o que mostra a 8ª edição da Pesquisa “Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil”, produzida pelo Sebrae, entre os dias entre os dias 14 de setembro e 11 de novembro de 2020.

O levantamento anual, feito desde 2013, identificou também que no segundo trimestre de 2020, período mais difícil da pandemia, aumentou em 35% o volume de crédito concedido pelos bancos, comparado ao II trimestre de 2019.

O volume de crédito concedido passou de R$ 65 bilhões no segundo trimestre de 2019 para R$ 87 bilhões, no mesmo período de 2020.