Boas novas para quem costuma fazer compras em moeda estrangeira: A partir de março, compras feitas em moeda estrangeira com cartão de crédito devem vir na fatura com o valor equivalente em reais do dia em que foram realizadas.

Os bancos podiam oferecer essa forma de cobrança se quisessem, mas a maioria das instituições preferia cobrar o valor referente à data do fechamento da fatura.

Com entrada em vigor da Circular nº 3918, os bancos serão obrigados a oferecer a opção de utilizar a taxa de câmbio do dia de cada gasto. Caso não queira optar por essa sistemática, o cliente poderá pagar com base na taxa de câmbio do dia de fechamento da fatura.

Quando anunciou a mudança na regra, em novembro de 2018, o Banco Central (BC) argumentou que a sistemática de pagamento pela data de fechamento da fatura deixa os clientes expostos a flutuações das taxas de conversão no período entre o dia do gasto e o pagamento.

Isso porque a variação cambial ocorrida entre a data do gasto e o efetivo pagamento é atualmente ajustada na fatura do mês posterior, podendo gerar crédito ou débito para o cliente - ou seja, se o dólar sobe, o cliente acaba pagando a mais. E se desce, o banco acaba tendo que compensar.

Assim um único gasto pode resultar em duas obrigações em momentos distintos. Com a nova regra, o cliente ficará sabendo já no dia seguinte quanto vai desembolsar em reais, eliminando a necessidade de eventual ajuste na fatura subsequente.

Porto de Itapoá

Resultados publicados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) trazem o Porto Itapoá na primeira posição entre os portos movimentadores de contêineres do Estado de Santa Catarina. No Brasil, o Terminal ocupa a terceira posição.

Em Santa Catarina, o Complexo Portuário da Baía da Babitonga, que incluem os terminais portuários de Itapoá e São Francisco do Sul, representaram 59,3% de toda a carga movimentada pelos portos no Estado.

Ao todo Santa Catarina movimentou quase 47 milhões de toneladas. Desse montante os portos da Babitonga movimentaram quase 28 milhões de toneladas.

Alesc debate reforma

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) marcou para o dia 5 de março uma audiência pública para debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 13/2019 e do projeto de lei complementar (PLC) 33/2019, de procedência do Executivo, que tratam da reforma da previdência dos servidores públicos estaduais.

A proposta da audiência é de Maurício Eskudlark (PL), que saiu em defesa do funcionalismo estadual, taxado como “problema e sangue-suga da sociedade”.

“É inadmissível que depois de tanto trabalho, preparação e preocupação com o cidadão, o servidor que deu a vida nessa causa não venha a ser respeitado.”

Crise trilionária

O corte nas linhas de abastecimento e a paralisação de fábricas na crise provocada pelo Coronavírus pode custar até US$ 1 trilhão ao Produto Interno Bruto (PIB) global, segundo estimativas da Oxford Economics divulgadas nesta segunda-feira (24).

Até esta terça-feira, a doença que emergiu em Wuhan, China, e se alastrou globalmente registrava mais de 80 mil casos confirmados e mais de 3 mil mortes. O último surto da doença eclodiu na Itália, com 283 casos confirmados na manhã desta terça-feira (25).

Confiança na construção

O Índice de Confiança da Construção, da Fundação Getulio Vargas (FGV), teve queda 1,4 ponto em fevereiro, na comparação com janeiro. O indicador chegou a 92,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos.

De acordo com a FGV, apesar da queda pontual, o índice registra a nona alta em médias móveis trimestrais, passando de 91,9 pontos em janeiro para 93 pontos.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul