A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs) completou nesta terça-feira (22), 83 anos desde sua fundação em 22 de junho de 1938. Por estas mais de oito décadas, a entidade sempre buscou a inovação de modo permanente, e tem modernizado seus canais de relacionamento e ampliado as conexões com associados e comunidade.

Prova disto é que na quinta-feira (24), a entidade apresenta mais uma ferramenta de comunicação digital, a plataforma Acijs In Rede, durante o evento Encontro Empresarial, às 19 horas, com transmissão pelo Youtube.

Neste período, a entidade vem se consolidando como uma das mais ativas organizações de representação do setor produtivo. Ao longo dos anos, obteve reconhecimento estadual e nacional pelo engajamento de suas empresas associadas, responsáveis pela geração de riquezas para Santa Catarina e para o Brasil.

“Com mais esse canal, a Acijs busca se adequar de maneira ainda mais efetiva aos novos formatos de comunicação, com mais efetividade e interação. É um meio que vem para unificar informações que vai apoiar os associados na sustentabilidade de seus negócios e reafirmar o vínculo que a entidade historicamente mantém com a comunidade”, assinala Luis Huffenussler Leigue, presidente da entidade.

Com sua atuação apoiada no tripé formado pelo estímulo ao empreendedorismo, incentivo ao voluntariado e na representação de classe por meio de um quadro de associados da indústria, comércio e serviços, a Acijs mantém forte sinergia com o poder público e com a comunidade.

No final da década dos anos 1970, a entidade liderou de modo pioneiro no estado a criação do condomínio Centro Empresarial de Jaraguá do Sul - Cejas. Inaugurado em maio de 1980, o prédio é a sede desde então as principais entidades de classe do município - além da Acijs , fazem parte do Cejas a Câmara de Dirigentes Lojistas, Associação de Micro e Pequenas Empresas e sindicatos de diversos segmentos da indústria, além de abrigar a subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil e a Jucesc - Junta Comercial do Estado.

O prédio consolidava, então, o conceito de sinergia entre os vários segmentos econômicos predominantes, unificando principalmente pautas em defesa da livre iniciativa e da atenção aos pleitos por melhor infraestrutura e qualidade de vida no município e região.

Inflação motivou alta da Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) informou na terça-feira (22) que o aumento de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros levou em consideração a “persistência da pressão inflacionária” maior que a esperada, sobretudo entre os bens industriais. Apesar da persistência, o comitê identifica tendência de melhora na economia do País. No dia 16, o Copom elevou a Selic de 3,5 para 4,25% ao ano.

“Adicionalmente, a lentidão da normalização nas condições de oferta, a resiliência da demanda e implicações da deterioração do cenário hídrico sobre as tarifas de energia elétrica contribuem para manter a inflação elevada no curto prazo, a despeito da recente apreciação do Real”, informou a autoridade monetária ao divulgar a ata da reunião realizada na semana passada pelo comitê.

Nubank e Anitta

Anitta passou a integrar conselho administrativo nesta segunda-feiraFoto: DIvulgação/Nubank

O Nubank anunciou na segunda-feira (21) uma adição inusitada ao Conselho de Administração do Nubank: a cantora Anitta, que irá participar de reuniões trimestrais com a diretoria para auxiliar nas decisões estratégicas sobre o futuro do negócio.

"Anitta é, hoje, a maior e mais influente artista do Brasil – mas ela vai além desse papel. É também uma empresária e empreendedora de sucesso, que usou sua visão estratégica para expandir a carreira internacionalmente", afirma a empresa, em post em seu blog oficial, frisando que a artista tem vivência com a burocracia e as dificuldades encaradas por brasileiros no uso de serviços bancários.

Privatização

A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (21), por 258 votos a 136, o texto-base da medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobras. A proposta prevê, entre outras medidas, a emissão de novas ações da Eletrobras, a serem vendidas no mercado sem a participação da empresa, resultando na perda do controle acionário de voto mantido atualmente pela União. A matéria segue para sanção presidencial.

Analisado pelos senadores na semana passada, o texto precisava ser votado até terça-feira (22) para que não perdesse a validade. Dessa forma, uma sessão extraordinária da Câmara foi convocada para esta segunda.