Em 2018, após a frustração das previsões econômicas para o ano, esperava-se e até se alardeava que 2019 seria a grande retomada da economia.

O discurso de que o próximo ano seria de recuperação já vinha se repetindo ao final de 2017 - que prometia o resgate econômico para 2018 - e de 2016, prometendo que pós impeachment, o país voltaria a crescer.

Não é o que parece segundo instituições financeiras, consultadas pelo Banco Central (BC), que aumentaram levemente a estimativa para a inflação este ano e diminuíram a projeção de crescimento do PIB mais uma vez.

A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,85% para 3,87%. Em relação a 2020, a previsão para o IPCA permanece em 4%. Para 2021 e 2022, também não houve alteração na estimativa: 3,75%.

Estas projeções estão no boletim Focus, publicação semanal elaborada com base em estimativas de instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos.

A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,30% para 2,28%.

Para 2020, a estimativa de crescimento do PIB subiu de 2,70% para 2,80%. Em 2021 e 2022, a expectativa segue em 2,50% de crescimento do PIB. Uma pequena boa notícia marcou o começo da semana: o dólar abriu em queda nesta segunda-feira (11).

Na semana passada, a moeda fechou o período em queda de 0,39%, cotada a R$ 3,8691, após acumular alta de 2,38% na semana. Em 2019, no entanto, acumula leve queda de 0,13%.

De forma geral, fica bem claro que temos um problema grave em mãos -e que do jeito que as coisas estão se encaminhando, ficará novamente prometido para o outro ano.

Já vimos parte disto nos discursos que marcaram o ano passado: em 2017, a reforma trabalhista foi alardeada como "a grande solução", que traria milhares de empregos e resolveria todos os problemas do país. Quando isto não se comprovou - como seria de se esperar, pois a economia não vive de soluções milagrosas e balas mágicas - a previdência passou a ser a fonte e a solução para todos os males.

Esperemos para ver.

Liquida Shopping

Nesta semana, o Jaraguá do Sul Park Shopping realiza a primeira edição do ano da Liquida Shopping.

A liquidação acontece entre os dias 14 e 17 de março, envolvendo todas as lojas e operações do empreendimento, incluindo as praças de alimentação e o setor de serviços, com descontos de até 70%. Os lojistas ainda preparam atrações e surpresas para chamar a atenção dos consumidores.

De quinta-feira a sábado, o shopping funciona das 10h às 22h. Já no domingo, as lojas abrem das 14h às 20h.

Ao longo da Liquida Shopping, os consumidores poderão conferir produtos com ofertas em destaque também nas redes sociais do empreendimento.

Além disso, influenciadores digitais da região vão participar da ação compartilhando dicas com os seguidores.

Grupo Lunelli registra crescimento

O Grupo Lunelli, com sede no Norte Catarinense e unidades fabris em São Paulo, Ceará e também no Paraguai, está em pleno crescimento. Empregando mais de 4,2 mil pessoas, a empresa vem confirmando números positivos em todas as suas marcas.

Divulgado nesta semana durante a reunião de vendas da Lunelli Malhas e Tecidos, em Jaraguá do Sul, o balanço de 2018 apresenta dados importantes referentes à ampliação de mercado vivenciada pelo grupo. As marcas Hangar 33, Lez a Lez, a Lunelli, a Lunender e Alakazzo cresceram até dois dígitos no ano passado.

Recentemente, a empresa distribuiu um total de R$ 9,2 milhões entre os colaboradores das 16 unidades espalhadas pelo país. O valor é referente ao PCR (Programa de Conquista de Resultados), baseado em indicadores e metas pré-determinadas que despertam o senso de comprometimento e de motivação.

Já no decorrer do ano de 2018, outro montante, no total de R$ 1,2 milhão, foi repassado, mensalmente, através do Prêmio de Produção.

Produção de veículos cresceu mais de 20%

Em fevereiro, a produção de veículos no país cresceu 29,9% na comparação com janeiro, e 20,5% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

O dado foi divulgado nesta segunda-feira (11) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Segundo a Anfavea, 257,2 mil veículos foram produzidos no país em fevereiro.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?