O Dia dos Pais está chegando, e com ele o comércio espera boas vendas. Segundo dados da da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), a data registra expectativa positiva para o comércio, com projeção de gasto médio de R$ 158,06 em 2018, leve alta de 1,8% na comparação com a intenção de gastos em 2017.

Segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, a CDL acredita que o Dia dos Pais será melhor do que o vivenciado em 2017, com resultados similares ao Dia das Mães.

Jaraguá do Sul tem demonstrado resultados superiores aos da média de Santa Catarina, embora não haja um dado preciso quanto a isso.

Segundo dados da Fecomércio, as datas comemorativas de 2018 a nível estadual tem consistentemente sido marcadas por tickets médios - o valor médio das compras - maiores do que em 2017, mas por resultados inferiores ao do ano passado.

A pesquisa mensal do comércio do Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra um panorama levemente diferente, com resultados sazonais muito similares aos do ano passado.

No Dia dos Namorados, o ticket médio do estado ficou 22,8% acima do registrado em 2017. Neste ano, o valor médio dos presentes foi de R$ 183,96, contra R$ 149,80 em 2017.

Apesar disso, o faturamento médio das lojas para o período ficou 6,5% abaixo do dia dos namorados de 2017. Na comparação com o padrão geral do comércio, o faturamento cresceu 7,8%.

O Dia das Mães registrou uma variação menor no ticket médio, de 1,1%, crescendo de R$ 218,90 em 2017 para R$ 221,34 este ano. Com o aumento pequeno no valor das vendas, a retração em comparação com o faturamento do ano passado foi mais palpável: 10,6%. Na comparação com os demais meses, as lojas faturaram 8,6% a mais.

A Páscoa teve uma elevação de 6,5% no ticket médio, passando de R$ 106,48 para R$ 113,43, mas o faturamento caiu 2,6% na comparação com a páscoa de 2017, embora tenha subido 9,2% na comparação com os outros meses.

Na avaliação da Fecomércio, os resultados se devem a perda de poder aquisitivo de parte da população - com a recessão, consumidores de menor poder aquisitivo param de comprar presentes, o que altera o ticket médio e reduz os rendimentos - em outras palavras: com menos pessoas comprando presentes baratos, a média sobe e gera impressão de melhora.

Vagas abertas para o CENTROWEG

Estudantes de 16 e 17 anos, residentes em Jaraguá do Sul e região, já podem se inscrever para o processo de seleção dos cursos do CENTROWEG 2019. As inscrições gratuitas estão abertas até o dia 17 de agosto. Com aulas diárias, paralelas ao ensino médio, os estudantes terão a possibilidade de se preparar para o futuro profissional desenvolvendo competências técnicas específicas e servirão de base para sua carreira.

Os jovens selecionados poderão participar de cursos de um ou dois anos, e receberão, além de salário de aprendiz, plano de saúde e odontológico, participação nos lucros, refeições subsidiadas e vale transporte. Para se inscrever os interessados se cadastrar diretamente no site da WEG. Os selecionados iniciarão as aulas no próximo ano.

Fiesc e Alesc promovem workshop de Certificação de Responsabilidade Social

Empresas e organizações da sociedade civil da região de Jaraguá do Sul que tiverem interesse em saber mais sobre a 8ª edição da Certificação e Troféu de Responsabilidade Social, iniciativa da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, poderão esclarecer as dúvidas durante workshop que será promovido nesta quinta-feira (9), das 14 às 17 horas, no auditório do Sesi - Rua Walter Marquardt, 835 - Bairro Rio Molha. As inscrições são gratuitas e estão disponíveis neste link.

Vendas industriais acumulam alta de 13% no semestre

As vendas da indústria catarinense fecharam o primeiro semestre do ano com alta de 13% em relação ao mesmo período em 2017, com dados dessazonalizados, informa a pesquisa indicadores industriais, da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc).

Das 14 atividades consultadas, 13 registraram crescimento, com destaque para produtos de metal (alta de 32,5%), produtos alimentícios (aumento de 31,1%) e vestuário e acessórios (expansão de 27,9%). Celulose e papel foi o único setor com desempenho negativo (-2,7%) no período.

Indicador Antecedente de Emprego recua

Más notícias para a geração de emprego: o Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp) recuou 0,8 ponto de junho para julho deste ano, atingindo 94,7 pontos em uma escala de zero a 200 pontos. O indicador teve a quinta queda consecutiva e chegou ao menor nível desde dezembro de 2016 (90 pontos).

Desde o segundo trimestre de 2014, início da crise econômica, o indicador não recuava por cinco meses consecutivos, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Iaemp é medido com base na expectativa de consumidores e de empresários da indústria e dos serviços, em relação ao futuro do mercado de trabalho.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?