O maior evento de varejo do mundo foi a pauta principal da primeira plenária da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Jaraguá do Sul em 2020.

Sob o comando da presidente eleita, Talita Beber, a reunião mensal ocorreu no Clube Atlético Baependi, nesta quarta-feira, 29.

Juntamente com o diretor financeiro da entidade, Francisco Tavares Júnior, ela esteve no NRF 2020 Vision Retail’s Big Show, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. A 109ª edição do evento anual contou com cerca de 38 mil participantes e apresentou as principais tendências para o mercado.

A presidente falou que o conceito de espelhamento foi apontado como diferencial, analisando com atenção a diversidade e conhecendo o público que entra no estabelecimento.

Tavares destacou que a tecnologia cumpre papel essencial nessa função, pois consegue assumir tarefas mais burocráticas e que levam tempo, através de automatização, robôs e inteligência artificial, dando espaço para o atendimento pessoal qualificado.

“A tecnologia possibilita estar perto das pessoas. As lojas físicas não representam mais apenas vendas. Agora, possuem novo propósito, criando mais conexão entre consumidor e marca”, destacou.

Primeira mulher eleita presidente da CDL, Talita ainda revelou as frentes de trabalho e o foco da gestão nos próximos dois anos.

“Definimos três pilares principais. O primeiro é inovação para ajudar a desenvolver o negócio. Outro ponto importante é o conhecimento. Iremos fornecer um calendário de cursos e eventos de capacitação para todos os associados. E, por fim, a experiência, que é sinônimo de sucesso no mercado. Nós, enquanto CDL, queremos proporcionar aos nossos associados maneiras para ele desenvolver o diferencial, focando no cliente”, concluiu.

Abertura de empresas em alta

O números de novos empreendimentos aumentou 25,5% em novembro de 2019 em relação ao mesmo mês do ano anterior. Foram registradas 257.697 aberturas, segundo o Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian.

Na comparação com outubro de 2019, houve queda de 16,2%. O acumulado de janeiro a novembro mostrou a abertura de 2,9 milhões de empresas, com alta de 23,3% no ano.

Confiança dos serviços

O Índice de Confiança de Serviços, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), teve queda de 0,1 ponto de dezembro de 2019 para janeiro deste ano e recuou para 96,1 pontos, em uma escala de zero a 200. A queda veio depois de duas altas consecutivas.

A queda da confiança atingiu empresários de seis das 13 principais atividades pesquisadas. O resultado foi puxado pelo Índice da Situação Atual, que mede a confiança no momento presente e que recuou 1,4 ponto, passando para 91,5 pontos.

Por outro lado, o Índice de Expectativas, que mede a confiança em relação aos próximos meses, subiu 1,2 ponto, para 100,9.

A situação do indicador pode ter relação tanto com o inchaço do setor, com um número crescente de microempresários individuais operando em setores de serviço, levando a saturação do setor, e consequente queda na demanda de mercado em relação a oferta, quanto com a situação geral da economia.

Investimentos no Pronaf

A partir de fevereiro, os bancos poderão destinar parte dos recursos obrigatórios depositados à vista no Banco Central para financiar investimentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

A decisão foi aprovada nesta quarta-feira (29) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A mudança deve movimentar R$ 1 bilhão em crédito para o setor.

Combate a fraudes em licitações

Polícia Federal (PF), Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União deflagraram nesta quinta-feira(30) a Operação Epagoge, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa suspeita de fraudar licitações.

Há frentes de ações no Paraná, em Santa Catarina e São Paulo. Em Santa Catarina, os alvos da operação são de Balneário Camboriú.

Dados da CGU apontam que, entre 2010 e 2019, os valores contratuais envolvendo essas empresas participantes do grupo e o poder público ultrapassaram os R$ 60 milhões,

R$ 2,496 bilhões em gastos

O Poder Executivo compensou R$ 2,496 bilhões de gastos do Judiciário e do Ministério Público da União para garantir o cumprimento do teto federal de gastos em 2019. A lista foi divulgada no início da noite desta quarta-feira (29) pelo Tesouro Nacional.

A emenda constitucional do teto de gastos definiu que o Executivo cedesse até 0,25% de seu limite para órgãos federais de outros Poderes nos três primeiros anos de vigência do limite.

O mecanismo permitiu que o Executivo economizasse mais para que os demais Poderes, obrigados a cumprir acordos salariais, pudessem gastar mais sem descumprir o teto.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul