Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) vem acompanhando o impacto da pandemia do novo coronavírus na economia, estratégias adotadas para superar a crise e as perspectivas para as empresas industriais em 2021 - e os dados indicam que sete em cada dez negócios industriais já retomaram pelo menos ao mesmo nível de produção (70%) e de faturamento (69%) de fevereiro, antes da chegada da Covid-19 ao Brasil.

Praticamente três quartos (73%) estão com o mesmo nível de emprego do registrado no pré-pandemia e as perspectivas para 2021 são de aumento no faturamento em 62% das empresas pesquisadas.

A pesquisa inédita, encomendada ao Instituto FSB Pesquisa, será divulgada na íntegra no 12º Encontro Nacional da Indústria (ENAI).

Com o tema “Como a indústria pode impulsionar o crescimento do Brasil” e correalização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o ENAI será realizado nos dias 17 e 18 de novembro totalmente online, por meio da plataforma InEvent.

Construída em parceria com associações e executivos da indústria, a programação discutirá temas caros para o desenvolvimento do setor e, consequentemente, da economia nacional.

Entre eles, a urgência da reforma tributária, a importância da inserção internacional e de uma nova estratégia de política industrial. A inscrição segue aberta e é gratuita.

A pesquisa a ser apresentada no ENAI mostra as estratégias adotadas pela indústria para conseguir atravessar a crise.

Quando perguntados quais as duas medidas mais importantes adotadas nos últimos seis meses para acelerar o crescimento do negócio, 40% apontaram a busca de novos fornecedores no Brasil; 39%, a aquisição de máquinas e equipamentos; 30%, a adoção de novas técnicas de gestão da produção; e 20%, o investimento em novos modelos de negócio.

Os dados mostram que, em parte significativa das empresas, as ações adotadas surtiram efeito.

Lista de importadores

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (17) que o Brasil vai revelar uma lista com nomes de países que importam madeira extraída de forma ilegal da Amazônia brasileira.

Durante o seu discurso na 12ª Cúpula do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o presidente voltou a criticar os “ataques” que o país sofre em relação às queimadas e ao desmatamento na região amazônica.

“Creio que depois dessa manifestação [divulgação da lista], que interessa a todos no mundo, essa prática diminuirá e muito nessa região”, afirmou.

Empresa Estratégica de Defesa

Santa Catarina concentra cerca de 10% das certificações de Empresa Estratégica de Defesa (EED) do país, de acordo com números do próprio Ministério da Defesa. São 11 certificados para SC, de um total de 103.

É o terceiro estado em número de registros, atrás de São Paulo e Rio de Janeiro. Entre elas está a WEG, de Jaraguá do Sul, e a Dígitro Tecnologia, que acaba de renovar junto ao Ministério da Defesa o certificado.

Concedida apenas às companhias que atendem requisitos obrigatórios, a certificação tem como objetivo assegurar a soberania nacional e coloca a Dígitro entre as selecionadas para desenvolver soluções para a Segurança Pública e Defesa do país.

Duas Rodas e Olho Embutidos juntas

Depois de a Linguiça Blumenau conquistar um espaço importante no mercado de embutidos com a produção regulamentada pelo governo catarinense, a Olho Embutidos e Defumados, de Pomerode (SC), lança a Linguiça Blumenau moída em uma embalagem tecnológica, prática e com a atmosfera modificada.

Para atingir o resultado desejado, a Olho Embutidos e Defumados trabalhou por um ano em conjunto com a também catarinense Duas Rodas, empresa especializada em tecnologia alimentar e que tem atuação em mais de 30 países.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul