A suspeita de que o vereador Arlindo Rincos (PSD) cobrava uma taxa em cima dos salários de servidores comissionados por ele indicados deve ser investigada pela Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. O assunto já estava sendo discutido discretamente em reuniões fechadas, mas ganhou força com a divulgação pelo apresentador do jornal da Studio FM, Sergio Peron, de uma carta escrita por um ex-assessor do parlamentar e encaminhada também ao presidente da Câmara, Pedro Garcia (PMDB). No texto, o ex-funcionário da Casa diz que entregava a Rincos R$ 3 mil do próprio salário e que não era o único obrigado a pagar o mensalinho.

O presidente da Câmara vinha mantendo discrição sobre o assunto, mas nos bastidores a informação é que o ex-assessor – que também ocupou por um período o cargo de diretor-administrativo – já esteve em reuniões na Casa e teria assinado um documento confirmando a veracidade das acusações. À coluna, Pedro Garcia disse que aguardava a oficialização da denúncia para poder tomar as providências necessárias.

Com o vazamento das informações, na próxima segunda-feira o presidente da Câmara fará reuniões com o jurídico da Casa para definir quais serão os próximos passos. O provável é que havendo base substancial, a denúncia seja lida em plenário já na sessão de terça-feira. A decisão de abrir ou não uma Comissão Processante para investigar a suspeita será tomada em plenário. O vereador Arlindo Rincos foi procurado diversas vezes, mas não atendeu às ligações e nem mesmo respondeu às mensagens enviadas.

carta

Os próximos passos 

A previsão é que na próxima terça-feira (13), os vereadores decidam se há ou não indícios necessários para abrir uma Comissão Processante (CP) contra Arlindo Rincos. Se a maioria decidir que há, logo em seguida, por sorteio, a CP é formada por três integrantes, que terão cinco dias para notificar o acusado. Depois disso, Rincos terá dez dias para apresentar defesa, que será submetida ao plenário. Caso a decisão seja levar as investigações adiante, os integrantes da comissão terão 90 dias para apresentar um parecer, que pode ser pela absolvição ou cassação do mandato. O procedimento é o mesmo pelo qual passou José Ozorio de Avila, o Zé da Farmácia, no ano passado.

 

 

Alquini é suplente

Se as acusações contra o vereador Arlindo Rincos forem comprovadas, quem assume o lugar dele na Câmara é Jair Alquini, o primeiro suplente do PSD.

Informação para conter riscos

Lançado esta semana pela Defesa Civil, o aplicativo para celulares no qual qualquer pessoa pode monitorar em tempo real a elevação ou diminuição dos níveis dos três principais rios do município é uma reivindicação apresentada em 2014 pela então vereadora Natália Petry. Pelas informações, diz a ex-vereadora, é possível evitar que as pessoas sejam surpreendidas pelas cheias.

João Gottardi

Conferindo de perto

O prefeito de Corupá, João Carlos Gottardi (PP), aproveitou a manhã de sexta-feira (9) para acompanhar as obras em andamento  no município (foto). Apesar do tempo chuvoso registrado entre maio e junho, obras de pavimentação estão em andamento em diversos bairros da cidade. Dentre estas, estão a pavimentação na rua João Tozini, no bairro João Tozini, e na rua Arturo Menestrina, no bairro Ano Bom, bem adiantadas. O prefeito ressalta a importância de, mesmo em tempo de crise nos municípios, Corupá estar com dez ruas em obra de pavimentação em uma primeira etapa e previsão de mais cinco vias até o fim do ano. Isso, segundo Gottardi, se deve à parceria do município com os governos federal e estadual, emendas de parlamentares e a participação da população.

Manutenção das rodovias

A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul aprovou moção reivindicando à Secretaria de Infraestrutura do Estado que execute as obras necessárias de recapeamento, tapa-buraco, manutenção da sinalização e limpeza na SC-108, que liga Jaraguá do Sul a Massaranduba, e na SC-415.

Parcela maior do FPM

Os municípios catarinenses receberam na sexta-feira (9) recursos referentes à primeira parcela de junho do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Foram R$ 123.306.994,53 em valores brutos. De acordo com cálculos da Fecam, houve um crescimento nominal de 17,80%, em relação à primeira parcela de junho de 2016. Considerando-se a inflação do período, o aumento foi de 13,18%. No acumulado do ano, há uma recuperação frente ao ano anterior. Até aqui os municípios do Estado já receberam R$ 1.654.631.277,45, frente ao montante de R$ 1.521.534.362,54 do mesmo período do ano passado, um acréscimo real de 4,48%.

Crescimento de 15%

O repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) efetuado na sexta à Prefeitura de Jaraguá do Sul foi de R$ 2,020 milhões. No ano, o crescimento de janeiro a junho foi de 15%. Foram R$ 27 milhões em 2017, contra R$ 23 milhões em 2016. Apesar do aumento nos repasses, a Fecam emitiu um comunicado aos prefeitos alertando que ainda é necessário adotar uma postura de cautela nas contas públicas.