O presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou agora a pouco que vai manter o cronograma do processo do impeachment na Casa, mesmo depois do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), anular a votação por considerar, a partir da petição da AGU, que ocorreram "alguns vícios que tornaram nula de pleno direito a sessão" que aprovou o afastamento da presidente. A decisão anunciada por Renan foi tomada após reunião com os líderes dos partidos no Senado.

- Essa decisão do presidente da Câmara agora é, portanto, absolutamente intempestiva. Aceitar essa brincadeira com a democracia seria ficar pessoalmente comprometido com o atraso do processo. E não cabe, ao fim e ao cabo, ao presidente do Senado dizer se o processo é justo ou injusto, mas ao plenário do Senado, ao conjunto dos senadores, foi essa a decisão do STF - disse Renan.