O governo de Antídio Lunelli (MDB) deu o primeiro passo para o que promete ser um avanço no combate à corrupção na área pública.

Foi publicado decreto que institui a comissão especial responsável pela elaboração de um programa que pretende aumentar consideravelmente a transparência e o alcance dos dados, uma espécie de compliance, já comum no setor privado.

A comissão, que será chefiada pelo secretário de Administração Argos Burgardt, ficará encarregada de elaborar a metodologia e os documentos necessários para a implementação. O grupo de trabalho terá 270 dias, ou seja, até novembro, para apresentar a proposta final.

O desejo de Lunelli é levar as ferramentas mais modernas de controle utilizadas no setor empresarial ao serviço público e fazer com que o modelo de Jaraguá do Sul possa servir de exemplo para outros municípios.

O programa deverá instituir práticas de controles internos e de contabilidade, acompanhamento de compras e licitações, prevenção a fraudes, segurança da informação, metas fiscais e gerenciais, entre outros mecanismos.

O ‘compliance’ será desenvolvido em parceria com os consultores da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali). Nenhum dos integrantes da comissão receberá incremento na remuneração pelo trabalho.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?