Estou pensando até em fazer greve de fome, porque é uma luta quase solitária”. Assim o prefeito de Guaramirim, Luís Antônio Chiodini (PP), define a tentativa de alterar a legislação federal para que os hospitais municipais possam fazer convênios para atender pacientes de planos de saúde. O pepista já pediu auxílio da Fecam no processo. No município, mais de 8 mil moradores poderiam ser atendidos no Hospital Santo Antônio, gerando receitas para melhorar o setor.

No ano passado, a Saúde ficou com 32% de todo orçamento de Guaramirim, em Jaraguá do Sul, o índice foi de 23%. Os gastos com o hospital giram em torno de R$ 900 mil a R$ 1 milhão ao mês, o que tem sufocado as contas públicas.

Além da árdua luta para alterar a legislação e acabar com a proibição de atender a planos de saúde, o que considera irracional, o governo de Chiodini tem se debruçado em alguns problemas históricos.

A instalação de relógio ponto nos postos de saúde e no hospital, em janeiro deste ano, fez com que sete médicos pedissem demissão. Em consequência, as filas aumentaram. “Tinha médico que devia trabalhar todas as manhãs, mas só ia uma”, cita o prefeito, que acredita que o Ministério Público e o Conselho Regional de Medicina deveriam ter atuação firme também nesses casos. Na semana passada, o município contratou três médicos, nesta, dois, e, na próxima, outro profissional deve ser chamado.

As horas-extras também foram regulamentadas e agora precisam ser autorizadas. Segundo dados oficiais, com 110 funcionários, o hospital municipal gerava mais despesas de horas-extras do que todo centro administrativo, com cerca de 900 profissionais.

A nova medida gerou uma economia de R$ 33 mil em fevereiro. Chiodini diz que o objetivo principal é fazer a boa gestão dos recursos para investir melhor. No primeiro semestre do ano, o plano é acabar com a fila para cirurgia de cataratas, mas outras cirurgias, exames e consultas com especialistas também estão no radar. A fila para ressonância magnética, por exemplo, tem pacientes desde 2012.

Jaraguá quer endurecer multa para reincidentes

Deve ir para votação nos próximos dias na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul projeto do Executivo que aumenta as multas para proprietários de terrenos baldios que forem autuados mais de uma vez pelo mesmo problema. O texto prevê que o infrator será punido com multa progressiva, cujo valor equivalerá sempre ao dobro da anterior. A legislação atual já prevê que os proprietários, a qualquer título, de terrenos baldios ou com construções inacabadas ou abandonadas, localizados na zona urbana ou de expansão urbana, são obrigados a mantê-los limpos, roçados, providenciando o corte periódico da vegetação e a eliminação de lixo.

Parecer derrubado

Os vereadores de Jaraguá do Sul rejeitaram por unanimidade o parecer contrário da Comissão de Legislação e Justiça ao projeto de lei que estabelece que os hospitais localizados no município disponibilizem, de forma gratuita, 3% das vagas de estacionamento para os pacientes de hemodiálise, quimioterapia ou radioterapia. O texto tem autoria dos vereadores Ademar Winter (PSDB), Arlindo Rincos (PSD), Jackson de Ávila (PMDB) e Ronaldo Magal (PSD) e deve ir ao plenário nas próximas sessões. O líder de governo, Pedro Garcia (PMDB), já alertava para problemas na matéria. Segundo ele, não dá para isentar quem sofre de um tipo de doença e taxar quem sofre de outros.

Concurso público

A Prefeitura de Guaramirim deve abrir concurso público ainda no primeiro semestre do ano. O levantamento da necessidade está sendo feito pela administração. Um dos problemas é a falta de fiscais. De Posturas, há apenas um. Nessa situação, a lei criada para multar proprietários de terrenos baldios que não cuidam dos espaços e deixam o mato crescer está sem aplicação.

No movimento

Luciano Hang, dono da Havan, estava na primeira fileira da palestra de Flávio Rocha, na Acijs, na noite de terça-feira, ao lado da ex-presidente da entidade Monika Hufenüssler Conrads. Foi chamado pelo dono da Riachuelo de companheiro de primeira hora do Movimento Brasil 200. “O Luciano expressa a demanda eleitoral não atendida hoje, um liberal na economia e conservador nos costumes”, disse Rocha.

Investimentos em educação

Vereador Jaime Negherbon (PMDB) ressalta os investimentos anunciados esta semana pelo secretário de Educação Rogério Jung (PMDB) para o primeiro semestre do ano. Serão R$ 4 milhões em melhorias que incluem obras de ampliação e reformas de escolas, como a Ricieri Marcatto, e a compra de uniformes escolares para mais de 15 mil alunos da rede municipal.

Padrinho no Badesc

Sem muita esperança de conseguir recursos do governo federal para obras de infraestrutura, o prefeito de Guaramirim Luís Chiodini comemora aprovação unânime da Câmara de Vereadores para captação de um financiamento de R$ 10 milhões com o Badesc. A verba é esperada para pavimentação de cerca de 10 quilômetros do Bananal. O padrinho da negociação tem sido outro Chiodini, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Carlos Chiodini (PMDB). “Ele tem sido um parceiro importante para cidade”, diz o prefeito.

O tamanho do caixa 2

Segundo dados do jornal “Diário Catarinense”, que teve acesso aos relató- rios, a denúncia de caixa 2 contra o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD) aponta suposto recebimento da Odebrecht de R$ 2,3 milhões não contabilizados nas eleições de 2010 e R$ 7 milhões na de 2014.Colombo vem negando todas as acusações.