O conceito não é exatamente novo, uma comunidade na qual cada um cuida de si e também contribui para segurança de todos. Projetos com esse sentido – como o Vizinhos Solidários –, já existem há algum tempo, mas, agora, o foco da Polícia Militar de Santa Catarina é utilizar a tecnologia para criar uma rede de segurança de abrangência muito maior. Em Jaraguá do Sul, o coordenador do projeto Rede de Vizinhos é o Major Aires Volvei Pilonetto, do 14º Batalhão. Segundo ele, a rede foi lançada no início do ano no município, mas agora, entre agosto e setembro, é que deve começar a ganhar mais visibilidade. Por enquanto, são apenas duas redes formadas em dois loteamentos diferentes. Uma terceira deve ser oficializada no próximo dia 22. A ferramenta consiste em um grupo de mensagens do aplicativo WhatsApp que, além de moradores da localidade, conta com um ou dois policiais para troca de informações relacionadas à segurança. Com base na chamada polícia comunitária, o principal objetivo é alertar sobre a presença de pessoas estranhas à vizinhança ou com atitudes suspeitas. Além disso, a PM disponibiliza através do grupo dicas para melhorar a segurança das casas e empresas da região. O formulário de inscrição já está disponível pelo Google Docs. Segundo Pilonetto, a tecnologia cada vez mais tem sido uma aliada à segurança pública. E sobre a possível participação de criminosos na rede, o major garante. “Não precisa se preocupar, porque a gente faz a conferência da ficha da pessoa. Bandido não entra”. A ideia é que a cidade toda possa ser coberta pela rede – que não substitui a rede de emergência, o 190. Outras duas frentes da PM são as redes de segurança escolar, compostas por todas as escolas, e a de proteção à mulher vítima de violência.

CONFIRA O LINK:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdS5jFwcp-JX8j8ITW-DC1VwSBJETtUjLUaoM2UZKcWLOi6vA/viewform?c=0&w=1&includes_info_params=true

Com a nova geração

O presidente da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, Pedro Garcia (PMDB) palestrou para os alunos na Escola Estadual Lino Floriani, no bairro Santo Antônio. A atividade faz parte do programa Câmara.Com Você, que incentiva os jovens a falar, entender e participar da política.

Foto Divulgação

Imigração lembrada

A Câmara de Vereadores de Massaranduba agendou para o dia 24 de novembro, às 17h, uma sessão solene em homenagem aos 140 anos da imigração italiana e aos 56 anos de emancipação político-administrativa do município. O requerimento é dos parlamentares Pier Gustavo Berri, Selésio Zapelini e Ademir Deretti.

ISSQN

Profissionais liberais que não receberam o carnê do ISSQN em casa devem procurar o setor de Tributação da Prefeitura. Ao todo, foram emitidos 1.340 carnês no município, com expectativa de arrecadação de R$ 870 mil.

13º em Corupá

A prefeitura de Corupá vai adiantar o pagamento da primeira parcela do 13° salário dos servidores neste mês de agosto. O benefício será pago no dia 18 de agosto para 458 servidores municipais num total de aproximadamente R$ 580 mil. O pagamento só será possível, segundo o prefeito João Carlos Gottardi (PP), devido a economia feita por todas as pastas da Prefeitura que se empenharam para que houvesse recurso necessário para este benefício. O adiantamento também vai otimizar os pagamentos da Prefeitura no fim do ano, quando o município também tem a segunda parcela do 13° salário e o pagamento da férias dos servidores, além disso, com a primeira parcela do abono paga agora aos servidores, ajuda a movimentar o comércio local, diz Gottardi.

Abrigos na rodovia

A Câmara de Vereadores de Guaramirim cobra resposta da Agência de Desenvolvimento Regional sobre a indicação do vereador Charles Longhi (PMDB) para recuperação dos abrigos de passageiros localizados ao longo da SC-108, (Rodovia do Arroz), até na divisa com o município de Joinville. A situação é mesmo precária.

Lei de Responsabilidade Fiscal

A não inclusão dos municípios da região na lista das cidades que descumpriram a Lei de Responsabilidade Fiscal mostra que o esforço de corte de gastos em 2015 e 2016 pelo ex-prefeito Dieter Janssen (PP) deu certo. A queda na arrecadação nos últimos dois anos fez com 46 prefeituras – só no Estado – entrassem na lista negra, segundo levantamento da Firjan.

Estado passa o chapéu

O governo de Santa Catarina – apesar de garantir que as contas estão equilibradas – resolveu passar o chapéu entre os empresários. O primeiro a atender o chamado foi Luciano Hang, proprietário da Havan, que anunciou doação de R$ 900 mil a ser parcelada em seis vezes até o final do ano. A verba será destinada à Secretaria de Saúde para cobrir gastos com combustível e remédios.  A iniciativa foi do secretário da Fazenda, Almir Gorges, inspirado em João Dória (PSDB), prefeito de São Paulo. Quem gostou da notícia foi o secretário de Saúde, Vicente Caropreso (PSDB), que trabalha com a projeção e um rombo de mais de R$ 700 milhões.