Não importa se de direita ou de esquerda. Discursos de ódio e extremismos são sempre um perigo real. Servem como combustível para que radicais tornem seus impulsos insanos e criminosos em tragédias como vimos esta semana em Suzano e na Nova Zelândia.

A dificuldade de grupos extremistas de conviver com as diferenças, respeitá-las e até admirá-las, - sim é possível admirar o que lhe é estranho -, explica muito da crise civilizatória em que vivemos, onde se mata inocentes por divergências ideológicas, religiosas e de raça.

Os ideais de supremacia não são novos, a história mostra muitos e tristes crimes, mas tudo ganhou outra dimensão com as redes sociais. O alcance é imediato e multiplicado.

Pregações de ódio no Twitter e Facebook acontecem o dia inteiro, as citações levam curtidas, são compartilhadas e comentadas, um comportamento que parte, inclusive e infelizmente, de formadores de opinião e políticos, o que acende a pólvora perversa.

Fake news e desinformação costumam ser aliadas na disseminação do horror e na incitação à violência e à intolerância.

Claro que a maioria das pessoas que prega guerra na internet fica apenas nas palavras, não sai matando pelas ruas, mesquitas e escolas. Entretanto, é preocupante ver como esse tipo de discurso tem crescido e ganhado adeptos.

Como disse Haisem Abaki, em uma de suas colunas no Estado de São Paulo: “tolerância com quem pensa ou é diferente não faz mal para o fígado nem para o pulmão. E faz muito bem ao cérebro e ao coração’. Nunca foi tão preciso pregar a paz e a solidariedade para combater o ódio.

No ninho

Na presença do deputado Vicente Caropreso e do ex-prefeito Mario Fernando Reinke, os tucanos de Massaranduba se reuniram na noite de quinta-feira para confraternizar e começar a traçar o cenário eleitoral do próximo ano.

Jair Pedri na Alesc

Ex-vereador Jair Pedri (PSD) foi convidado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia (PSD), a assumir o cargo de assessor de relações institucionais da Casa. “Aceitei, é um desafio novo, um trabalho bacana e diferente”, diz. O expediente será dividido entre a capital e Jaraguá do Sul.

Namoro sério

Presidente do PSD, Jair Pedri afirma que a aliança com o MDB na eleição municipal de 2020, com apoio à reeleição do prefeito Antídio Lunelli, está praticamente selada.

“É um caminho meio sem volta, um encaminhamento da grande maioria”, diz. Segundo ele, porém, a aproximação não inclui interferência no posicionamento legislativo dos atuais vereadores do partido, Arlindo Rincos e Ronaldo Magal.

Obras paradas

Os 295 municípios catarinenses e o próprio governo do Estado tiveram até ontem para enviarem ao Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE-SC) as respostas ao questionário sobre obras paralisadas.

A iniciativa é da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Tribunal de Contas da União (TCU), que estão realizando um mapeamento nacional de todas as obras públicas paradas.

O trabalho é coordenado pelo Comitê Interinstitucional de Diagnóstico de Grandes Obras Suspensas e Paralisadas e leva em conta obras com valor superior a R$ 1,5 milhão.

O TCU estima que ao menos 15 mil obras se enquadrem nesse perfil em todo o país. Na região, temos o trecho urbano da BR280, o Cedup, a Escola da Tifa Martins.

Na pauta os royalties

O senador Esperidião Amin (PP-SC) comemora a definição de data – 4/abril – para o julgamento, no Supremo Tribunal Federal (STF), do processo que discute a demarcação da divisa oceânica entre Santa Catarina e o Paraná para fins de distribuição de royalties a título de indenização aos estados e municípios devido à exploração de poços de petróleo.

Amin tem marcado em cima desse assunto. Santa Catarina já perdeu alguns bilhões de reais com essa nova “Guerra do Contestado”. E a volta do assunto à pauta do STF só se deu depois de ofício enviado pelo senador ao ministro Dias Toffoli no mês passado.

Cadastro positivo

O passaporte do bom pagador, projeto de autoria do ex-senador catarinense Dalírio Beber (PSDB), foi aprovado em plenário.

O cadastro positivo pode favorecer a ampliação do crédito com taxas de juros mais baixas para os que estiverem adimplentes.

Estima-se que 110 milhões de pessoas e empresas sejam beneficiadas. O texto segue para sanção presidencial.

Análise econômica

A Associação Empresarial de Guaramirim promove, na segunda-feira, um bate papo sobre os principais dados econômicos do município e região.

Quem apresentará os resultados é o consultor da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali), Mateus Silvestrin. A plenária tem início às 18h30 e é aberta à comunidade.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?