O presidente da Acijs (Associação Industrial de Jaraguá do Sul), Giuliano Donini, recebeu com um misto de alívio e preocupação a informação publicada ontem pelo jornal O Correio do Povo de que o governo do Estado tem R$ 25 milhões reservados para investir na duplicação do trecho urbano da BR-280, este ano. O alívio é por, enfim, ter uma perspectiva para o início da obra que, quando pronta, deve minimizar os congestionamentos entre o trecho que vai da Ponte do Portal à Rodovia do Arroz. Ao todo, sem a grande parte das obras de arte, o custo estimado e licitado ainda em 2014 para duplicação é de R$ 85,8 milhões. A preocupação da Acijs é com a sinalização de que a obra deve começar com a construção de um elevado no entroncamento com a SC-108, onde hoje existe o trevo de acesso à Blumenau. A entidade deve se manifestar oficialmente ao governador Raimundo Colombo (PSD) sugerindo que o valor seja investido na construção de uma nova ponte entre Jaraguá do Sul e Guaramirim, que não está prevista no projeto original, e que o restante do valor seja aplicado nas melhorias até o trevo de Guaramirim.

Donini não vê sentido na decisão de dar prioridade à construção de um viaduto que será conectado com uma pista simples. “Temos pouco recurso. É preciso garantir que ele seja utilizado da maneira mais eficiente possível. Estamos calejados com a morosidade das obras públicas. O viaduto de Schroeder é um exemplo.

Começar a obra pela construção de uma nova ponte não iria interferir no fluxo de veículos. É o mais lógico”, ressalta. O empresário lembra ainda da enchente registrada na região em 2008 e que por pouco não deixou a ponte que dá acesso à entrada da cidade interditada. “ Imagina o caos que seria. Não podemos ter memória curta”, alerta.

* * *

IMG_2169

Em defesa dos hospitais 
O deputado estadual Vicente Caropreso esteve com o secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, solicitando recursos para os hospitais de Jaraguá do Sul. “Com a tabela desatualizada do Sistema Único de Saúde (SUS) e o déficit causado pelos procedimentos realizados acima dos contratados pelo governo, as entidades estão amargando graves prejuízos”, ressaltou o parlamentar.

* * *

PMDB comemora
O PMDB prepara ampla programação para o próximo dia 25 para comemorar os 50 anos do partido no Estado. As comemorações devem ser ainda mais animadas com as perspectivas da sigla de voltar a comandar o país pela terceira vez e todas sem vencer a eleição: com Sarney e Itamar Franco e agora com Michel Temer.

* * *

Para acompanhar
O Movimento Brasil Livre, que tem o empresário Amarildo Batista como um dos líderes em Jaraguá do Sul, irá instalar um telão LED na Praça Ângelo Piazera para quem quiser acompanhar a votação do impeachment no domingo.

* * *

Alívio aos prefeitos
O plenário do Senado aprovou projeto de lei que acaba com as punições a prefeitos que violarem a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no que se refere aos gastos com pagamento de pessoal por terem tido redução no orçamento por motivos alheios à administração municipal, como queda do FPM. Os municípios ficarão livres de penas como não contratação de operações de crédito, não recebimento de transferências voluntárias e não obtenção de garantia para empréstimos. Mas somente quando a queda nas receitas ficar 10% acima do registrado no mesmo período do ano anterior. O texto ainda será analisado pela Câmara dos Deputados.

* * *

Perspectiva para domingo
Giuliano Donini discorda dos três principais argumentos utilizados pelos governistas para tentar barrar o impeachment. “Para mim, os fins não justificam os meios. As provas de irregularidade fiscal existem. E também não é porque outros fizeram que está certo fazer”. Atento às notícias de Brasília, ele acredita que o impedimento será aprovado pelos deputados no domingo. “E passar pela Câmara não significa que a presidente será excluída em definitivo. Significa apenas a continuidade do processo”, lembra.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO