Era 1934. O Brasil promulgava sua nova Constituição, suspensa três anos depois pela ditadura Vargas. Em março daquele ano, Jaraguá havia se emancipado de Joinville. Nosso recém município, que ainda não incorporava o complemento “do Sul”, já dava seus primeiros passos independente.

Sua economia essencialmente agrícola e pecuária, tinha na banha e na manteiga, seus principais produtos exportáveis. Importante salientar que, naquela época, o termo “exportação” se aplicava para vendas fora do estado.

A manchete de capa do O Correio do Povo, edição nº 745, de 25 de agosto daquele ano, estampava um protesto contra um Decreto Federal que limitava em 5% a incidência de acidez nos respectivos produtos, comprometendo sobremaneira o processo de produção dos fabricantes. Atente para os argumentos utilizados no texto em defesa da economia jaraguaense.