Zeloso com a memória histórica, atento ao presente e orientado para o futuro, O Correio do Povo crava sua marca centenária. Como periódico regional mais antigo em circulação do estado de Santa Catarina, a atual Rede OCP de Comunicação imortalizou, na noite de quinta-feira (9), um marco de sua existência, brindando com a comunidade, no Cejas, o lançamento do livro “O Correio do Povo 100 Anos – Recortes da Nossa História”, de autoria de Carlos Henrique Schroeder, João Chiodini e Nelson Luiz Pereira.

Como poucos jornais regionais centenários em circulação, o OCP, fundado em 10 de maio de 1919, por Venâncio da Silva Porto, superou guerras, ditaduras, crises econômicas e as mais variadas intempéries da história.

Segue testemunhando, pautando e registrando o cotidiano regional, cônscio de que o presente e o futuro impõem novos desafios preponderantes para continuidade de sua missão de “informar e conectar a comunidade com os fatos que impactam sua vida”.

O olhar para o futuro requer capacidade e sensibilidade de interpretar o novo mundo da comunicação. Os atuais consumidores de informação, numa época de massificação de conteúdo, anseiam por algo diferenciado, exclusivo e crível.

Estrategicamente, é imprescindível que se conheça, como os consumidores buscam e consomem conteúdo. Sabe-se, evidentemente, que o leitor atento e crítico sempre buscará uma fonte confiável. Inserido nesse paradigma, a ordem então, já absorvida pela Rede OCP de Comunicação, é perseguir e dominar a nova dinâmica da comunicação multiplataforma, num panorama de convergência midiática, atendendo por meio de multicanais as “pluridemandas”.

O novo jornalismo continuará com sua missão de informar com credibilidade, responsabilidade e liberdade, porém, deverá transcender a prática de fornecer notícias, e incorporar, sob perspectiva transformadora, o propósito de ser agente formador de opinião e promotor de meios legítimos para uma sociedade mais evoluída.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?