O que para muitos não passa de lixo, para os conscientes da necessidade de um mundo sustentável, lacres e tampinhas são moedas de solidariedade. Coletados e reciclados, estes materiais que, costumeiramente, são jogados de forma irregular na natureza, podem gerar recursos para fomento de projetos que beneficiam e salvam vidas.

De acordo com institutos de pesquisas, o Brasil produz mais de 250 mil toneladas de lixo urbano por dia. De todo esse volume, 45% seria reciclável. No entanto, reciclamos pífios 2% desse lixo. E se falarmos apenas de lacres e tampinhas, então esse percentual seria próximo de zero. Em nossa cidade, o Jaraguá do Sul Park Shopping já conta com dois coletores instalados em suas dependências, sendo um para lacres e outro para tampinhas. Uma iniciativa inteligente e responsável que poderia ser adotada por todos.

Recolher um lacre jogado na rua pode parecer um gesto trivial para uma mente desprovida de senso de sustentabilidade. No entanto, o impacto dessa simples atitude é imensurável para o mundo. Ela se orienta numa cultura voltada ao cuidado com o meio ambiente, com o consumo responsável e, notadamente, com o ser humano.

O volume de produção de lixo é proporcional ao nível de consciência para com o processo de compra, uso e descarte contínuo. É imperativo que tenhamos responsabilidade sobre os produtos que adquirimos e, principalmente, sobre o destino que damos a eles, para que retornem ao ciclo infinito de consumo, porém de forma sustentável.